Psicanalise e a dificuldade de aprendizagem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1052 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1. Segundo a autora como a psicanálise considera as dificuldades de aprendizagem que os alunos apresentam na escola?

Segundo a autora, a psicanálise considera essas dificuldades de aprendizagem desses alunos como uma dimensão enigmática. Sendo um enigma, uma dificuldade de aprendizagem pode ser decifrado, permitindo ao sujeito construir um saber a partir disso que não sabe. A proposta éescutar as dificuldades de aprendizagem como se escuta um sintoma, uma vez que esta dificuldade é um modo que o sujeito encontra de expressar seu mal-estar, um modo de dizer que as coisas não estão bem com e para ele. Com a afirmação de que a dificuldade de aprendizagem pode ser um sintomas, pretende-se apontar uma possibilidade de interlocução da psicanálise com a educação e delimitar campos deintervenção de cada um. Nos alunos que apresentam alguma dificuldade escolar percebemos que essa prática de nomeá-los como problemáticos, imperativos, agressivos, disléxicos e outros, serve para mantê-los em um lugar segregador que os impede de produzir um saber sobre si mesmos.

2. Descreva de que forma a autora utiliza o discurso universitário de Lacan para explicar o discurso da escola sobre asdificuldades de aprendizagem dos alunos. (1,5 pontos)

A partir dos discursos de Lacan, pode-se pensar as explicações para as dificuldades de aprendizagem (déficits orgânico, cognitivo, afetivo e social), funcionam como um discurso que atravessa o cotidiano escolar nas dificuldades de aprendizagem, todas as explicações já estão dadas a priori, sem que para isso se precise escutar o sujeito. E osaber do Outro, dos especialistas que comanda a estrutura deste discurso. Essa constatação aproxima a interpretação para as dificuldades de aprendizagem ao discurso universitário de Lacan. No discurso universitário o sujeito acredita que tem um saber, mas na verdade ele não sabe. O que se produz e o que se perde é o sujeito dividido que não interessa. As explicações para as dificuldades deaprendizagem excluem o sujeito, mas este insiste em se fazer ouvir.



3. Descreva de que forma a autora utiliza o discurso da histeria de Lacan para explicar a dificuldade de aprendizagem do aluno como uma demanda de escuta e interação.

A autora utiliza o discurso da histeria de Lacan para explicar que o aluno com dificuldade direcionará sua dificuldade para a escola, na expectativa que ela crieum saber sobre o que esta causando essa dificuldade, mas apenas o aluno poderá dizer o que esta causando tal dificuldade. Nesse discurso o aluno é impulsionado pelo desejo de saber, e busca um professor para definir qual é o seu desejo, e tenta fazer com que a escola perca o seu próprio saber , levando ela a produzir um novo saber, convocando a escola para decifrar seu sintoma.

4. Descreva deque forma a autora utiliza o discurso universitário de Lacan para explicar o discurso da escola sobre as dificuldades de aprendizagem dos alunos. (1,5 pontos)
A autora utiliza do discurso universitário de Lacan para demonstrar que a escola que está no lugar do saber vai impor sobre o aluno, que por sua vez está no lugar de objeto do saber a causa ou teoria que ela acredita causar as dificuldadesde aprendizado, que no discurso universitário ocupa o significante do mestre, sem considerar a individualidade deste aluno, isso causará uma falha, ou seja, uma inverdade sobre o que realmente causa a dificuldade do aluno e o que a escola diz causar tal dificuldade, com isso o aluno se tornará o sujeito dividido do discurso, ou seja, chegará a perda que é a continuidade da dificuldade deaprendizagem.

5. Descreva sobre o sujeito da psicanálise apontada pela autora no texto.

Sujeito da psicanálise é o sujeito do inconsciente que aparece nas formações do inconsciente, conhecidos como atos falhos, sonhos, sintomas, chistes e lapso de memória. Estes trazem algum tipo de intenção, fazendo um furo no discurso consciente. Para Freud, é um sujeito em dúvida, dividido, que não sabe o que...
tracking img