Prova e gabarito sistemas operacionais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1864 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de março de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Curso de Tecnologia em Sistemas de Computa¸˜o ca Disciplina de Sistemas Operacionais Professores: Valmir C. Barbosa e Felipe M. G. Fran¸a c Assistente: Alexandre H. L. Porto Quarto Per´ ıodo AP3 - Segundo Semestre de 2009 Nome Assinatura -

Observa¸˜es: co 1. Prova sem consulta e sem uso de m´quina de calcular. a 2. Use caneta para preencher o seu nome e assinar nas folhas de quest˜es o e nasfolhas de respostas. 3. Vocˆ pode usar l´pis para responder as quest˜es. e a o 4. Ao final da prova devolva as folhas de quest˜es e as de respostas. o 5. Todas as respostas devem ser transcritas nas folhas de respostas. As respostas nas folhas de quest˜es n˜o ser˜o corrigidas. o a a

1

1. (2.0) Diga se as seguintes afirmativas s˜o falsas ou verdadeiras. Para a responder, escreva apenas F ou Vpara cada item em seu caderno de respostas. (a) (0.4) O modo n´cleo ou supervisor ´ aquele no qual o sistema u e operacional executa e o modo usu´rio ´ aquele no qual os proa e gramas de aplica¸˜o executam. Como o acesso ao hardware ´ ca e limitado ao modo usu´rio, o sistema operacional precisa executar a um programa especial para acessar e gerenciar um dispositivo do hardware. Resp.: F (Falsa,pois o acesso aos dispositivos do hardware ´ lie mitado ao modo supervisor. Logo, o n´cleo n˜o precisa executar u a um programa especial para gerenciar os dispositivos). (b) (0.4) Um ponto de montagem ´ um arquivo especial do sistema e de arquivos usado para acessarmos os blocos de um dispositivo baseado em blocos. Resp.: F (Falsa, pois um ponto de montagem ´ um diret´rio do e o sistema de arquivoscom o sistema operacional, usado para acessar um outro sistema de arquivos, montado neste diret´rio, atrav´s do o e comando mount). (c) (0.4) Ao executarmos uma chamada ao sistema operacional, deveremos sempre alterar, usando a instru¸˜o TRAP, o modo do ca processador de usu´rio para supervisor, porque as fun¸˜es que a co tratam as chamadas fazem parte do n´cleo do sistema operaciou nal. Resp.: V(Verdadeira). (d) (0.4) A principal caracter´ ıstica das m´quinas virtuais criadas pelo a monitor de m´quina virtual ´ que elas s˜o m´quinas estendidas, a e a a com dispositivos mais f´ceis de serem usados. a

2

Resp.: F (Falsa, pois cada m´quina virtual criada pelo monitor a de m´quina virtual ´ uma c´pia exata da m´quina real, com disa e o a positivos t˜o dif´ a ıceis de serem usados quantoos dispositivos da m´quina real). a (e) (0.4) Em um sistema operacional baseado no modelo cliente-servidor, o n´cleo do sistema, chamado de micron´cleo, trata somente u u da troca de mensagens entre os processos clientes e servidores que executam no modo usu´rio. O acesso direto aos dispositivos a f´ ısicos, pelos processos servidores que os gerenciam, ´ feito a partir e de mensagens especiaisenviadas por estes servidores. Resp.: V (Verdadeira). 2. (2.0) Descreva as condi¸˜es necess´rias para que a coopera¸˜o entre co a ca processos seja eficiente e correta, destacando a importˆncia das se¸˜es a co cr´ ıticas e dos algoritmos de escalonamento. Resp.: Para que um conjunto de processos possa cooperar de modo correto e eficiente para executar uma tarefa em comum, precisamos garantir ascondi¸˜es descritas a seguir. A primeira condi¸ao ´ que dois ou co c˜ e mais destes processos n˜o possam executar concorrentemente as suas a se¸˜es cr´ co ıticas. A importˆncia de cada uma destas se¸˜es cr´ a co ıticas est´ a em que ´ dentro delas que o c´digo de cada processo acessa os recursos e o compartilhados (por exemplo, regi˜es de mem´ria). Estes recursos deo o vem ser exclusivamente acessadospara que a tarefa seja executada de modo correto. A segunda condi¸˜o ´ que nenhum processo possa bloca e quear um outro processo se n˜o estiver executando a sua se¸˜o cr´ a ca ıtica, pois como este outro processo n˜o est´ acessando os recursos compartia a lhados, bloque´-lo reduziria a eficiˆncia ao executar a tarefa. A terceira a e condi¸˜o ´ que n˜o podemos fazer nenhuma suposi¸˜o sobre a...
tracking img