Proudhon

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3442 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Pierre Joseph Proudhon



Nome: Felipe Carroci Martins Número: 708839
Ronaldo Bittencourt
Diogo Lucas

Ciências Econômicas 1º Ano – Noturno
Pierre Joseph Proudhon (1809-1865) nasceu em Besançon (França), numa família pobre. Seu pai era artesão e cervejeiro.
Criado sob uma educação cristã, que era baseda sua família, viveu até os doze anos nos campos, onde fazia pequenos trabalhos rústicos e pastoreava vacas. Com dezenove anos saiu do colégio e foi trabalhar numa tipografia, depois tornou-se produtor por conta própria e cambista.
Depois disso, Passou por algumas cidades procurando emprego, trabalhando e vivendo em oficinas e enviado dinheiro a seus familiares. isso até o ano de 1836.
Aos28 anos ingressou na Academia de Bensançon, dando início a sua vida pública, lá ele recebia uma pensão trienal destinada a alunos que buscassem a carreira das letras ou das ciências e não tinham condições financeiras favoráveis. Proudhon venceu a concorrência, sua relação de motivos para o ingresso é emocionante, ele começa dizendo que nasceu e foi criado no meio da classe operária e terminadizendo que deseja ser o representante desta classe entre os acadêmicos.
Ganhou seu primeiro prêmio ao escrever sobre um personagem histórico que está contido num livro que a academia atualmente tem muito desprezado como fonte histórica, a Bíblia. Dedicou-se ao estudo das antiguidades socialistas e nela foi o primeiro lugar que ele as encontrou e recebeu aplausos por tornar Moisés filósofo esocialista.
Segundo Proudhon os aplausos pouco importavam para ele, seu gosto mesmo era sua própria realização e pelo seu relatório de entrada na academia. Como seja pode-se afirmar que sua realização é ver a classe operária com boas condições de sobrevivência, segundo Woodcock, a realização de Proudhon não era que a classe dominante perdesse suas condições, mas que todos tivessem as mesmas condiçõesdesta e que para isso não fosse necessário o uso do poder do homem sobre o homem.
Em seu primeiro livro intitulado O que é Propriedade? Publicado em 1840 ele começa afirmando que a escravidão é um assassinato para depois transformar essa afirmação de forma dialética num novo questionamento, que é justamente o que dá título ao livro: O que é propriedade? e da mesma forma que respondeu sobreescravidão ele diz: “É um roubo”. Ele transformou seus escritos num panfleto e logo foi intimado pelo Ministério Público de Bénsançon a comparecer ao tribunal criminal sob acusação de ataque a propriedade.
Proudhon foi o primeiro a declara-se anarquista considerado assim o pai do anarquismo. Apesar de não ter sido o primeiro a escrever e julgar melhor a sociedade sem um governo. William Godwin (1756-1836)o precedeu. Mas Isso não tirou o título dado pelos historiadores. É no mínimo intrigante O Manifesto Eleitoral do Povo publicado no Jornal du Peuple, 8-15 de Novembro de 1848 onde ele diz que os candidatos ao sufrágio popular prometeram tanto ao povo que não resta nada a prometer e que de todas as promessas nenhuma foi cumprida. Este jornal pertencia ao próprio Proudhon, foram quatro jornais nototal todos fechados pelo governo devido aos seus artigos sempre violentos contra o poder.
Em 1851, no Idée Générale de la Revolucion ele tece uma critica aos deputados , levantando desconfiança sobre a reputação deles:
“Quem me diz que vossos procuradores não usarão de privilégio para fazer do poder um instrumento de exploração? Quem me garante que seu pequeno número não os entregará, pés, mãose consciências amarradas, à corrupção? E, se eles não querem se deixar corromper, se eles não conseguem ser razoáveis à autoridade, de quem me assegura que a autoridade desejará se submeter”?
Proudhon (1848)
Era um homem que se identificava com o povo mesmo quando deputado, em um de seus discursos mais polêmicos se colocou como proletariado usando o termo “nós” ao se referir a classe,...
tracking img