Protecoes coletivas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1744 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 29 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
PROTEÇÕES COLETIVAS

Modelo de Dimensionamento de um Sistema de Guarda-Corpo

MINISTÉRIO
DO TRABALHO E EMPREGO

FUNDACENTRO
SANTA CATARINA
FUNDAÇÃO JORGE DUPRAT FIGUEIREDO DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

Proteções Coletivas

PROTEÇÕES COLETIVAS
Modelo de Dimensionamento de um Sistema de Guarda-Corpo

-1-

Proteções Coletivas Presidente da República Luiz Inácio Lula daSilva Ministro do Trabalho e Emprego Ricardo Berzoini

FUNDACENTRO Presidenta Rosiver Pavan Diretor Executivo Antônio Roberto Lambertucci Diretora Técnica Arline Sydneia Abel Arcuri Diretora de Administração e Finanças Renata Maria Celeguim

-2-

Proteções Coletivas

PROTEÇÕES COLETIVAS
Modelo de Dimensionamento de um Sistema de Guarda-Corpo

Coordenação da Pesquisa Artur Carlos daSilva Moreira Engenheiro de Segurança do Trabalho do Centro Estadual de Santa Catarina Mestre em Engenharia de Produção Pesquisa Artur Carlos da Silva Moreira Gracieli Scarpini Janaina Clasen

MINISTÉRIO
DO TRABALHO E EMPREGO

FUNDA ÇÃO JOR GE D UPRAT FIGUEIR EDO DE SEGURA NÇA E MEDICINA DO TRABALHO

-3-

2004

Proteções Coletivas

Catalogação na Fonte: CDB/Fundacentro
Proteçõescoletivas: modelo de dimensionamento de um sistema de guardacorpo. Artur Carlos da Silva Moreira. Coordenador. Pesquisadoras. Gracieli Scarpini; Janaina Clasen. São Paulo: Fundacentro, 2004. 39 p. 23cm. ISBN 85-98117-02-1 1. Sistema de guarda-corpo. 2. Segurança do trabalho. 3. Indústria da construção. I. Artur Carlos da Silva Moreira (coordenador). II. Gracieli Scarpini. III. Janaina Clasen.IV. Título. CIS/OIT As Xib Safr

-4-

Proteções Coletivas

APRESENTAÇÃO

A revisão da Norma Regulamentadora nº 18, publicada no Diário Oficial da União em 07/07/95, significou um enorme avanço na busca da melhoria das condições de segurança na indústria da construção, reduzindo o número de acidentes de trabalho e doenças profissionais e contribuindo para diminuir o agravo do quadrosocial conseqüente desses infortúnios. Dos avanços encontrados na NR 18, pode-se destacar a exigência de proteções coletivas onde haja possibilidade de quedas de altura, bem como a inserção do conceito do sistema de guarda-corpo e rodapé, que deverá ser usado em andaimes, periferia das lajes, lajes, passarelas, vãos de elevadores, entre outros. Outro ponto destacável é em relação ao Programa sobreCondições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção PCMAT, que é integrado também pelo projeto das proteções coletivas em conformidade com as etapas da execução da obra. Dentre os objetivos principais desta publicação está o de enfatizar a real importância do correto dimensionamento das proteções coletivas e proporcionar; às empresas e profissionais, metodologias para o cálculo desistemas de guarda-corpo utilizados na indústria da construção. Não se pretende com este trabalho substituir a responsabilidade do profissional legalmente habilitado, como prevê a NR 18, mas sim

-5-

Proteções Coletivas colaborar com o entendimento de uma metodologia para o cálculo de tal proteção coletiva. Convém ressaltar que este trabalho merece complementação, podendo ainda seremestudados outros materiais, ou a combinação de vários materiais para a confecção dos guarda-corpos. Agradecemos desde já o auxílio da UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina, na pessoa do professor Carlos Alberto Szücs, da UNISUL - Universidade do Sul de Santa Catarina e do grupo do PROESIC - Programa de Engenharia de Segurança na Indústria da Construção da FUNDACENTRO.

Engº Artur Carlosda Silva Moreira

-6-

Proteções Coletivas

SUMÁRIO

1 2

INTRODUÇÃO ..................................................................................................... 9 METODOLOGIA PARA CÁLCULO DE PROTEÇÕES COLETIVAS ............. 10 2.1 2.2 2.3 Dimensionamento das Travessas ................................................................ 12 Dimensionamento dos Montantes...
tracking img