Prosa romantica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2253 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Instituto Estadual Romagueira Corrêa

Aluno(a): Emilene Turma:



Prosa
Romântica

Uruguaiana, 28 de Maio de 2012




Introdução

Durante o período colonial, a prosa inexistiu. Nessa ausência de tradição, os autores românticos partiram do nada e fizeram suas primeiras tentativas maisconsistentes.
O marco inicial do romance brasileiro se dá a partir das obras de Teixeira e Sousa – O filho do pescador (1843) e Joaquim Manuel de Macedo - A Moreninha (1844), a obra de Macedo se destaca dada a sua qualidade estética superior e o grande sucesso entre os contemporâneos.
Nas décadas de 50 e 60 verifica-se o florescimento da prosa de ficção. Os prosadores românticos procuraram cobrirdiversos aspectos da vida brasileira, além das indefectíveis histórias de amor.
A prosa de ficção surgiu no Brasil por meio de um gênero literário, o romance, e nosso primeiro romancista foi o fluminense Joaquim Manuel de Macedo, com o best-seller "A Moreninha". No entanto, o romance brasileiro ganharia consistência e orientação a partir da entrada de José de Alencar em nossa cena literária.Joaquim Manoel de Macedo

Joaquim Manuel de Macedo nasceu em Itaboraí, 1820, e faleceu no Rio de Janeiro, 1882. Formou-se em Medicina pela Faculdade do Rio de Janeiro, mas não chegou a exercer a profissão.
Autor do primeiro romance urbano do Romantismo brasileiro, Joaquim Manuel de Macedo teve também o mérito de popularizar esse novo gênero entreos leitores, principalmente da classe média, além de contribuir para propagar de forma considerável a circulação dos folhetins, verdadeiros veículos literários do século XIX. Mais do que isso, a fidelidade com que o romancista descreve os ambientes e costumes serve como um verdadeiro documentário sobre a vida urbana na capital do Império. No entanto, Macedo pecou ao ter como único objetivoescrever seus romances para agradar a classe média brasileira, principal consumidora dos folhetins. Suas publicações seguem sempre a mesma fórmula empregada em A Moreninha, que o consagrou como um dos escritores mais lidos do Romantismo. Suas narrações e descrições, apesar de possuírem uma linguagem muitas vezes bem elaborada, perde em muito para o lirismo encontrado nas obras de José de Alencar. Suaspersonagens são sempre superficiais, com diálogos construídos numa linguagem simples. Não possuem uma penetração psicológica. O enredo sempre gira em torno dos mesmos temas: amores impossíveis, dúvidas e segredos, namoricos, festas, brincadeiras estudantis, entre outros. Tudo é recheado por um tom doméstico, onde todas as tramas sempre convergem para um final feliz.
Obras
Romances
A Moreninha -1844
O Moço Loiro - 1845
Os Dois Amores - 1848
Rosa - 1849
Vicentina - 1853
O Forasteiro - 1855
A Carta de Meu Tio - 1855
Romances da Semana - 1861
O Culto do Dever - 1865
Memórias de um Sobrinho de Meu Tio - 1867/1868
As Vítimas Algozes - 1869
A Namoradeira - 1870
As Mulheres de Mantilha - 1871
Teatro
A Torre em Concurso
Luxo e Vaidade
Cobé - Drama
O cego - Drama
O Primo daCalifórnia - Comédia
Poesia
A Nebulosa (Poema Romance)










José de Alencar

José de Alencar (1829-1877) foi romancista, dramaturgo, jornalista, advogado e político brasileiro. Foi um dos maiores representantes da corrente literária indianista brasileira. Destacou-se na carreira literária com a publicação do romance OGuarani, em forma de folhetim, no Diário do Rio de Janeiro, onde alcançou enorme sucesso. Seu romance o Guarani serviu de inspiração ao músico Carlos Gomes, que compôs a ópera O guarani.
Consolidou o romance brasileiro, ao escrever movido por sentimento de missão patriótica. O regionalismo presente em suas obras, abriu caminho para outros sertanistas, preocupados em mostrar o Brasil rural.
José...
tracking img