Propor alternativas no uso de materiais e técnicas construtivas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 17 (4220 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O PROJETO DAS VEDAÇÕES VERTICAIS: CARACTERÍSTICAS E A
IMPORTÂNCIA PARA A RACIONALIZAÇÃO DO PROCESSO DE PRODUÇÃO.
Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco
Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica da USP
1. INTRODUÇÃO
A utilização da alvenaria como principal material de construção tem acompanhado o
homem durante toda a sua história. Na antigüidade tem-se notícia da utilizaçãode
tijolos secados ao sol, nas construções persas e assírias, já a partir de 10.000 A.C.,
e de tijolos queimados em fornos a 3.000 A.C.
São notáveis os exemplos de realizações de alvenaria da antigüidade, dentre os
quais podem ser citados a Muralha da China, construída entre 300 e 200 A.C. , o
Coliseu em Roma cuja construção terminou em 82 D.C., o Panteão que data de 123
D.C. e ainda o Farolde Alexandria, construído em alvenaria de pedra a cerca de
2260 anos e destruído em um terremoto no século XIII.
No Brasil, a alvenaria de pedras foi utilizada nas cidades litorâneas em que este
material existia em abundância, a partir da colonização do país. Em são Paulo onde
não havia disponibilidade de pedras, a metodologia construtiva utilizada a partir da
colonização do país foi a taipade pilão. A utilização de tijolos só se tornou popular,
a partir do ciclo econômico do café, começando por obras ligadas diretamente ao
beneficiamento daquele produto agrícola.
Em 1867, instalou-se em Campinas a primeira olaria mecanizada e com grande
produtividade mensal. A partir de 1886, Ramos de Azevedo construiu edifícios
públicos nos quais o arquiteto se esmera por mostrar toda apotencialidade da
alvenaria. Este foi o método de construção dos palacetes da classe alta, a partir de
1890. Nos anos 30, iniciou-se a utilização intensiva do concreto armado mesmo nas
construções de pequena altura, como as residências utilizadas pela classe média
(LEMOS, 1985).
O domínio tecnológico da produção das alvenarias e revestimentos até esta época
era dos mestres de obra, responsáveispelo andamento e qualidade da execução
dos serviços. As técnicas eram repassadas informalmente de geração para geração
de profissionais. Com a crescente desqualificação e desvalorização da mão-deobra
que ocorreu a partir da década de 50, a boa técnica de construir foi perdida.
Ninguém mais tinha do domínio sobre a técnica de produção da vedação vertical.
A vedação vertical, por outro ladoocupa posição estratégica entre os serviços da
construção de edifícios. A vedação vertical é o subsistema que tem como principais
funções compartimentar a edificação e propiciar aos ambientes característica que
permitam o adequado desenvolvimento das atividades para as quais eles foram
projetados. Constitui-se, além dos vedos, que definem a tecnologia de produção e
são os principais responsáveispelo desempenho global da vedação vertical, dos
revestimentos e das esquadrias existentes sobre as paredes.
Além disso, a vedação vertical possui interface com vários outro subsistemas do
edifício, como a estrutura, as instalações, as vedações horizontais,
impermeabilizações, entre outros.
Apesar da incidência do custo da produção dos vedos no orçamento do edifício não
ser o item de maiorimportância, quando se considera conjuntamente toda a
vedação vertical e as interfaces que faz com os demais subsistemas do edifício,
este conjunto representa, normalmente, o maior item de custo de produção.
Ainda é na produção da vedação vertical, principalmente dos vedos e dos
revestimentos que se observam os maiores índices de desperdícios tanto de
materiais como de mão-de-obra empregada.Esta situação da vedação vertical torna-a crítica como elemento fundamental para o
planejamento e organização da produção da obra. A produção da vedação vertical
tem interfaces com a maioria dos serviços a serem realizados para a execução do
edifício, assim um mal planejamento da execução deste subsistema leva a
problemas como interferência entre serviços, retrabalho e desperdícios.
Assim, a...
tracking img