Prontuario eletronico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2497 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Novas Tecnologias para Construção do Prontuário Eletrônico do Paciente
Fabiane Bizinella Nardon1, Sérgio Furuie2, Umberto Tachinardi3
Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 44 – 2o. andar – São Paulo – SP fabiane.nardon@incor.usp.br1, furuie@incor.usp.br2, umberto.tachinardi@incor.usp.br3

Resumo
A construção de umProntuário Eletrônico do Paciente implica na recuperação e disponibilização das informações coletadas pelas diversas instituições de saúde onde uma pessoa recebeu atendimento ao longo de sua vida. Como estas informações estão distribuídas em sistemas heterogêneos, torna-se necessária a utilização de tecnologias que permitam a integração destes sistemas, independentemente da plataforma de hardware esoftware em que foram construídos. Este artigo descreve duas novas tecnologias (objetos distribuídos e XML) que, aliadas, à internet, podem revolucionar a forma com que o Sistema de Prontuário Eletrônico será construído. A experiência do Instituto do Coração na utilização destas tecnologias também é apresentada.

1. Introdução Ter todas as informações de um paciente plenamente disponíveiseletronicamente é algo que há muito tempo vem sendo perseguido por instituições de saúde. O Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) não é, no entanto, um sistema de informação trivial. Se considerarmos que uma pessoa ao longo de sua vida recebe atendimento em diversas instituições de saúde, sendo que cada uma destas instituições armazena uma parte das informações de saúde do indivíduo, torna-se claro queo PEP é um sistema inerentemente distribuído. Além disso, como cada instituição de saúde possui um sistema de informação diferente, utilizando potencialmente diferentes linguagens de programação, sistemas operacionais e plataformas de hardware, o PEP é também um sistema heterogêneo. Aliando a isto o fato de que a informação em saúde é complexa e pouco estruturada, a construção de um Sistema deProntuário Eletrônico que reuna todas as informações de uma pessoa desde o seu nascimento até a sua morte é um dos maiores desafios na área de sistemas de informação. Nos últimos anos, entretanto, surgiram tecnologias que podem facilitar muito a tarefa de construção do PEP. Estas tecnologias, aliadas à Internet, representam a possibilidade de reunir todas as informações de uma pessoa, mesmo que elasestejam distribuídas em complexos sistemas heterogêneos e distribuídos. Entre estas tecnologias, duas devem ser destacadas pelo impacto que estão causando na construção de sistemas de informação: objetos distribuídos e XML. A tecnologia de objetos distribuídos permite que sistemas construídos em qualquer linguagem de programação e plataforma de hardware e software, possam ser integrados e possamtrocar informação entre si. O padrão XML permite que informações pouco estruturadas possam ser representadas de uma forma em que a semântica da informação é preservada e pode ser facilmente recuperada. O objetivo deste artigo é apresentar estas duas tecnologias, mostrando como elas podem ser úteis na criação do PEP e apresentando a experiência do Instituto do Coração na utilização das mesmas. 2.Objetos Distribuídos Durante muito tempo, a limitação do poder de processamento dos computadores obrigou os engenheiros de software a utilizar técnicas de desenvolvimento que se propunham a realizar as tarefas necessárias dentro das limitações das máquinas. Atualmente, no entanto, a capacidade de processamento dos computadores é muito maior e os paradigmas utilizados

no passado não fazem maissentido. Pesquisas que compararam a capacidade de detecção de contornos e movimento da retina humana com a mesma funcionalidade em programas de visão computacional sugerem que a retina faz o trabalho de 1.000 MIPS (milhões de instruções por segundo) de um computador. O cérebro humano é 100 mil vezes maior que a retina e, portanto, acredita-se que ele é 100 milhões de MIPS mais computacionalmente...
tracking img