Projeto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 47 (11666 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Trabalho dos quilombolas Sumário

Introdução

I – A chegada dos negros no Brasil;
I. II – O Trabalho escravo;
I. III – A resistência Negra;
I. IV – A formação do Quilombo dos Palmares;
I. V – A formação e reconhecimento dos Quilombos em Cipó.
II – A educação quilombola;
II. I – A ausência da educação formal do negro no Brasil;
II. II – A educação quilombola em Cipó;
II. III –Conclusão.

Identidade cultural das comunidades quilombolas de Cipó em questão.
Maria Eunice de Oliveira Santana Pedagogia UNEB

I - Introdução:
O presente trabalho apresenta uma reflexão sobre a situação das comunidades quilombolas que sobrevieram em áreas remanescentes de quilombos em Cipó, localizadas em localidades próximas ao rio Itapicuru. Relaciona a resistência quilombola com a ameaça daperda da identidade cultural. Aborda a possibilidade de desaparecimento dos elementos fundamentais a sobrevivência do quilombo, o presente estudo descreve a eficácia das políticas públicas no processo de preservação da identidade quilombola de nosso Brasil. Sabe-se que os povos negros que chegaram ao Brasil a partir do século XVI, introduziram aqui importanteselementos culturais, através do processo de miscigenação, entre europeus, indígenas e africanos, responsável pela formação do povo brasileiro, proporcionou o encontro e a assimilação desses elementos. Quando chegaram ao Brasil, os negros encontram uma cultura identificada com hábitos de duas nações a indígena e a portuguesa fundindo-se aleatoriamente por força das circunstâncias colonialistas numadiversidade cultural. A presença do negro no Brasil completa, portanto, a formação dos três principais troncos étnicos que deram origem ao povo brasileiro e sua conseqüente miscigenação que se estendeu durante muito tempo de nossa história. Dentro desse contexto nota-se que a urbanização brasileira esta relacionada a deculturação sofrida na século XIX, com a desindianização dos povos nativos eposteriormente a desafricanização dos negros. A partir daí veremos a formação do Brasil urbano, que representa a modernidade da industrialização da revolução científica e da cultura erudita, porem repleta de problemas sociais, expressos nas diversas formas de violência, preconceito e segregação racial, e o Brasil rural que tem uma significância importante na preservação dos principais elementosculturais que reflete a identidade da cultura brasileira, no que tange para esse contexto estão inseridas as comunidades negras espalhadas por todo o Brasil, os antigos quilombos que sobreviveram durante séculos, resistindo à escravidão e se perpetuaram após a abolição. Esses espaços recebem com menor impacto os efeitos da cultura de massa difundida através dos meios de comunicação. Entre estes seressalta as comunidades quilombolas de Cipó na Bahia as quais são comunidades que praticam a agricultura familiar, conservam os mesmos hábitos da fabricação artesanal da farinha de mandioca, do bejú, do cultivo de pequenas lavouras de cereal, da fabricação artesanal de utensílios de barro, telhas tijolos etc. Tomamos como referência, nesse estudo, o modo de vidae as principais manifestações culturais típicas das comunidades quilombolas, onde existem fragmentos importantes da cultura afra brasileira conservada por grupos de remanescentes quilombolas, que vivem os efeitos dessa nova estrutura fundiária, geradoras dos impactos sócio culturais com ênfase na perda da identidade cultural deste povo sofrido que muito contribuíram para a nossa história. Aspolíticas públicas destinadas ao resgate da identidade cultural das comunidades quilombolas nas ultimas décadas não foram suficientes para solucionar os inúmeros problemas vividos pelos negros espalhados por todo o território brasileiro. Segundo Leitão (2006) a partir da Constituição de 1988, algumas conquistas foram incluídas, mas tiveram dificuldade de ser implantadas devido à burocracia e a...
tracking img