Projeto

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2051 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SOCIEDADE E DESENVOLVIMENTO REGIONAL

DEPARTAMENTO DE SERVIÇO SOCIAL DE CAMPOS























TEMA:

As condições sócio-econômicas e suas influências na situação saúde: notas sobre demandas para o Serviço Social.



DISCENTE:

Carla Maria Luiz de Souza.





PROJETO DE MONOGRAFIAI – IDENTIFICAÇÃO

Discente: Carla Maria Luiz de Souza.

II – OBJETO

TEMA: A condição sócio-econômica e suas influências na situação saúde: notas sobre demandas para o Serviço Social.

SUMÁRIO:

Capítulo 1 – Emergência na saúde: plantão em Serviço Social no Distrito de Santo Eduardo.

Capítulo 2 – A pobreza no desencontro com a saúde.

CATEGORIAS:

Saúde –Pobreza – Plantão

III – OBJETIVO:

• Geral: Analisar a pobreza no desencontro com a saúde.

• Específico: Justificar o porquê, que a situação sócio-econômica do usuário influencia na sua situação saúde.




IV – QUADRO TEÓRICO:

A prática profissional dos Assistentes Sociais vem se desenvolvendo e a cada dia tem se tornado uma prática necessária para a promoção e atenção àsaúde. Sua intervenção tem se ampliando e se consolidado diante da concepção de que o processo saúde-doença é determinado socialmente e reforçado pelo conceito de saúde.

Independente do tipo de unidade de saúde, independente das diferenças entre os usuários e das demandas dirigidas ao Serviço Social, os assistentes sociais vêm seguindo uma lógica de organização do seu trabalho eestratégias de ação. O Serviço Social como um todo, se organiza em plantão ou plantão e programas, enquanto os assistentes sociais, individualmente, podem se organizar desenvolvendo ações no plantão, no plantão em programas ou somente em programas e projetos.

O Plantão faz parte de qualquer unidade de saúde, sendo, não só nos hospitais e maternidades, o ponto de referência para realização dotrabalho com os internados na emergência ou enfermarias e seus familiares, mas para o atendimento nas unidades de atenção básica e secundária. No Plantão, independente da unidade, o usuário é recebido, ouvido (“procura-se esclarecer os motivos da procura ou do encaminhamento”) e encaminhado para recursos externos e/ou recursos internos tendo como parâmetro o “bom” andamento da rotina institucional, osrecursos disponíveis e as demandas explícitas dos usuários por orientações e inserção na rotina.

As demandas do Plantão são atendidas individualmente através de “orientações diversas”, “encaminhamentos”, “esclarecimentos”’, informações”, “providências”, “apoio”, “aconselhamento”, atividades apontadas pela quase totalidade dos assistentes sociais.

Os usuários chegam ao plantão do ServiçoSocial através de procura espontânea, encaminhamentos internos e encaminhamentos externos. Assim, os assistentes sociais não realizam estudos sobre as demandas dos usuários nem as demandas institucionais, realizando ações a partir de demandas espontâneas ou selecionadas e dirigidas ao Serviço Social pelo demais profissionais de saúde/serviços.

O plantão é a única atividade comum à maioria dosassistentes sociais, ainda que, em algumas unidades de saúde, esta atividade não seja reconhecida por este nome. O Plantão não se constitui assim, num serviço ou uma atividade pensada, planejada, organizada, reduzindo-se a ações isoladas desenvolvidas pelo assistente social para “resolver o(s) problema(s) do usuário”.

Desse modo, a prática do assistente social no plantão reduz-se a uma práticaburocrática, não assistencial (visto que prioriza respostas a demandas por informação e orientação pontuais e não por recursos materiais, capacitação, organização, etc.).

Mas, no entanto, o Assistente Social, como profissional de Saúde, tem como competências intervir junto aos fenômenos sócios-culturais e econômicos, que reduzem a eficácia dos programas de prestação de serviços no setor,...
tracking img