Projeto recursos humanos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 19 (4713 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMARIO
1 INTRODUÇÃO 4
2APRESENTAÇÃO DO TEMA 4
2.1 PROBLEMATIZAÇÃO
2.2 OBJETIVOS
2.2.1 Objetivo Geral
2.2.2 Objetivo Específico
2.3 JUSTIFICATIVA
2.4 METODOLOGIA
3 MARCO TEORICO
3.1 JORNADA DE TRABALHO
3.2 ADICIONAL NOTURNO
3.3 ADICIONAL DE INSALUBRIDADE
3.4 ADICIONAL DE PERICULOSIDADE
3.5 HORAS EXTRAS
3.5.1 Horas Extras Resultantes do Sistema de Compensação de Jornada de Trabalho3.5.2 Horas Extras Resultantes do Acordo de Prorrogação de jornada de Trabalho
3.5.3 Horas Extras em Decorrência de Força Maior
3.6 INTERVALOS
3.6.1 Intervalo Intrajornada
3.6.1 Intervalo Interjornada
3.7 FALTAS E ATRASOS
3.8 BANCO DE HORAS
3.9 CARTÕES DE PONTO
4 RECURSOS E CUSTOS
5 CRONOGRAMA
6 ANÁLISE E DESCRIÇÃO DOS DADOS
7 CONSIDERAÇÕES FINAIS











1INTRODUÇÃOO trabalho apresentado busca discorrer sobre Jornada de Trabalho e sua conseqüências legais, sua definição, sua importância e os fatores que levaram a implantação de um limite de horas de trabalho. A limitação da Jornada foi uma das mais sofridas e importantes conquistas do trabalhador por seus direitos para que ele não fique á mercê unicamente da produção
O termo Jornada é utilizadopara expressar a duração diária do trabalho, ou seja, período que compreende a quantidade de tempo que o trabalhador dispõe a empresa. A Constituição Federal, em seu artigo sétimo e oitavo, tratam da Jornada de Trabalho assegurando aos empregados à quantidade entendida como ideal de horas trabalhadas. As consequências legais relacionadas à Jornada de Trabalho são: horas extras, intervalos, adicionalnoturno, periculosidade, insalubridade, descontos e atrasos.

2 APRESENTAÇÃO DO TEMA
Jornada de trabalho é o período diário durante o qual o trabalhador está à disposição da sua empresa, a duração do trabalho normal não pode ser superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais como prevê a atual Constituição Federal em seu art. 7º, e estipulada no art. 59 §2º da Consolidaçãodas Leis Trabalhistas (CLT), a limitação da jornada de trabalho decorre do direito à vida, na medida em que o excesso de horas de trabalho poderá acarretar a perda da própria vida ou, uma restrição à sua qualidade.
Na Idade Moderna, o movimento trabalhista modificou substancialmente a atitude dos homens diante do problema, com a ação vigorosa pela limitação das horas diárias detrabalho. Aos poucos a necessidade de dosagem entre tempo de trabalho e tempo livre passa a constituir uma exigência legal, de tal modo que hoje ninguém duvida mais quanto à imperatividade desse equilíbrio (NASCIMENTO, 1994 p.629).
Ao se tratar da luta do trabalhador pelos seus direitos em relação à jornada de trabalho é imprescindível não mencionar á Revolução Industrial, já que foi a partirde então que se passou a preocupar-se com o excesso de horas laboradas.
Pois com a utilização crescente das maquinas acarretou-se no aumento da jornada de trabalho e na redução dos salários, naquela época a jornada diária de trabalho na maioria dos países europeus encontrava-se estabelecida entre 12 e 16 horas, já nos Estados Unidos da América tinham-se jornadas de trabalho de11 há 13horas diárias. (NETO, 2009)
Com essas horas de trabalho excessivas começou a nascer uma revolta nos trabalhadores para a diminuição das mesmas. Começaram a surgir movimentos reivindicatórios visando á diminuição da jornada de trabalho, principalmente da instituição da jornada de oito horas, os quais fizeram surgir efeitos em curto espaço de tempo, já que poucos anos após o inicio dos movimentos,mudanças começaram a ocorrer nas normas que fixam da jornada de trabalho. (NETO, 2009)
O primeiro dos países a reduzir a jornada de trabalho foi à Inglaterra em 1847, a qual foi também a primeira a legislar de maneira geral, abrangendo todas as classes operarias, sem distinção entre homens e mulheres, e fixando em 10 horas diárias, em seguida foi à vez da França que em 1848 fixou em 10...
tracking img