Projeto pesquisa - aborto clandesgtino

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 8 (1842 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE DE EDUCAÇÃO,CIÊNCIAS E ARTES DOM BOSCO DE MONTE APRAZÍVEL-FAECA









MAYARA BAISSO LUI Nº 34
BRUNA GUARNIERI Nº 06















ABORTO CLANDESTINO:
DESCRIMINALIZAÇÃO DO ABORTO

















MONTE APRAZÍVEL
2008

MAYARA BAISSO LUI Nº 34
BRUNA GUARNIERI Nº 06












TRABALHOS ACADÊMICOS: PADRÃO ADOTADO PELA FAECAPARA AVALIAÇÃO NA DISCIPLINA
































MONTE APRAZÍVEL
2008
INTRODUÇÃO


O Aborto Clandestino no Brasil constitui um problema de saúde pública e um tema de justiça social.
O ciclo de clandestinidade do aborto tem produzido vários desvios e problemas, os mais graves deles são a morte e a prisão das mulheres que abortam.
O fato é que sefaz necessário algumas reflexões sobre esse processo em que a criminalização e a ilegalidade do aborto geram a clandestinidade para a realização do mesmo, que pode resultar na morte precoce e desnecessária de mulheres - um ônus para quem não pode pagar um aborto seguro.A descriminalização do aborto seria uma solução?
Devemos refletir que mesmo com a lei impondo regras e punidades, existe aprática do aborto clandestino e nem sobre a pressão de uma norma, as pessoas deixam de praticá-lo.Portanto, é melhor ampara-las do que vê-las morrer.
Pensando nisso, essa pesquisa tem o propósito de questionar a possibilidade da descriminalização do aborto, sendo uma hipótese de solução e combate às indústrias clandestinas.
Um outro fato importante é que recorrer ao abortamento inseguro expressadesigualdade, e injustiça social. Quando a mulher decide interromper uma gravidez, cabe à sociedade respeitar e ao Estado garantir o exercício desse direito. Assim tratar-se – á, também, dessa questão, com ênfase às leis que protegem essa prática.
Percebe-se que as mulheres recorrem às praticas de grande risco como uso de sondas, chás tóxicos e outros remédios caseiros de efeitos colaterais danosos,ou buscam apoio em pessoas inescrupulosas, sem competência profissional para realizar um aborto, expondo a saúde e a vida a riscos desnecessários. Utilizam métodos que causam complicações imediatas, danos e conseqüências gravíssimas à saúde, por meio da clandestinidade.
Com isso, nota-se que a criminalização e a ilegalidade geram clandestinidade, sem contar que o aborto inseguro constitui umproblema de saúde pública e de justiça social onde mulheres penalizadas pela sua ilegalidade, são de baixa renda e que têm dificuldades de acesso à informação de como planejar seus filhos; tem dificuldade de acesso aos métodos contraceptivos, aos serviços de saúde, vivem em condição de desemprego e pobreza, possui outros filhos e que muitas vezes arcam solidariamente com esta maternidade.
Portanto, adescriminalização do aborto, seria uma possível medida de acabar com as mortes que o aborto clandestino provoca, além do que, depois da descriminalização, possivelmente abortar legalmente seria aqueles que abortariam clandestinamente. Pois quem é contra o aborto jamais abortaria, a consciência de cada um é eficaz.
Nesse sentido, há a necessidade de realizar uma pesquisa qualificativa, que busquerespostas para eventuais dúvidas, obtendo assim soluções e medidas com intuito de reverter este quadro, que se encontra precário, onde muitas mulheres morrem, ou acabam ficando com grandes problemas psicológicos, capazes de desenvolver culpa, queda na autoestima pessoal, desordens nervosas, depressões e muitas outras conseqüências que perturbarão a sua vivência.
Este trabalho visa desenvolverquestionamentos desafiantes, opiniões com possíveis soluções para com esse problema do aborto inseguro, que abala a sociedade com um todo. Discutir meios, opinar, analisar, refletir, já seria um bom começo para chegar à um acordo, pois a saúde de quem aborta também precisa de proteção, dignidade, amparo e respeito.
Diante da realidade atual dos altos índices de abortos praticados no Brasil,...
tracking img