Projeto de mestrado

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1229 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]














LEVANTAMENTO HISTÓRICO SOBRE A LEITURA E OS DESAFIOS DA FORMAÇÃO DO LEITOR CONTEMPORÂNEO






Itamar Ramos Sodré






Goiânia
2010
TÍTULO


Levantamento histórico sobre a leitura e os desafios da formação do leitor contemporâneo.


ÁREA DE CONCENTRAÇÃO


Área de Estudos Linguísticos


LINHA DE PESQUISA


Língua,texto e discurso


JUSTIFICATIVA E FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

O homem tem se utilizado da leitura ao longo dos tempos como o principal recurso para aquisição de conhecimento e esse processo tem passado por inúmeros avanços desde que a escrita foi inventada. Hoje, recursos tecnológicos possibilitam a leitura em diversos formatos e com acesso a acervo ilimitado.
O problema é que essesrecursos não estão imunes a conteúdos de má qualidade que estão à disposição desses leitores. A Internet, com suas infinitas possibilidades está repleta de textos em blogs, páginas de relacionamentos pessoais, programas de mensagens instantâneas, sites de conteúdo, artigos entre outros.
Como formar um leitor crítico e um escritor de qualidade diante de tamanha exposição a conteúdos de máqualidade? Mas como determinar se um texto é ou não de qualidade? A utilização de textos publicados na Internet para pesquisa acadêmico-científica pode resultar em um trabalho confiável, ou seja, é possível verificar a veracidade das informações apresentadas?
Para responder a esses questionamentos é que se propõe a elaboração deste estudo, tendo como referência obras de autores como Jouve,Lajolo, Freire, Zilberman, Koch, Val, Cavalcanti, Alliende, Micotti entre outros que se fizerem necessário durante o trabalho.
Mesmo tratando-se de contexto literário, Lajolo e Zilberman (1996, p. 117) expõem:


Num país de tradição escrita tão recente e precária como o Brasil, e consequentemente com uma história de leitura, enquanto prática social, tão incipiente, nãodeixa de ser curioso que as histórias literárias só muito raramente, e sempre em surdina, se ocupem das condições de produção e circulação dos livros. Esta mal-amada faceta da literatura também faz parte dela, tanto quanto as entrelinhas que a crítica investiga e interpreta e cujo valor se assinala ao longo de um eixo que não só sacramenta certos textos como maiores ou menores, mas também lhesoutorga ou denega estatuto de literariedade.


O contexto social é representado nos diversos escritos que podem ser acessados por meio de pesquisas em livros, periódicos, revistas e, hoje, nos recursos tecnológicos como a Internet, que se mostra uma importante ferramenta de armazenamento e disseminação de conteúdos.
A classificação de textos como maiores ou menores exige que o críticotenha em mente a subjetividade do escritor e do leitor, pois aquilo que pode ser considerado inferior para uns, por ser considerado superior para outros. Sobre essa questão, Cavalcanti afirma que:


O processo de leitura é, portanto, um paradoxo entre as semelhanças e diferenças na interpretação. De um lado, pressupõe comunicação, o que implica interpretações semelhantes porleitores diferentes [...] a tarefa do leitor é buscar o equilíbrio entre as exigências do procedimento de comunicação e a liberdade para criatividade. Essa tensão caracteriza o processo como primariamente reducionista (CAVALCANTI, 1989, p. 35).


O leitor é influenciado pelas condições sócio-históricas, portanto, a concepção de que a leitura é um processo puramente individual, ou seja, dopróprio indivíduo, não procede, visto que ele é influenciado pelo que já vivenciou anteriormente à leitura. Os sentidos influenciam o seu processo de leitura.
Em se tratando de leitura contemporânea, as possibilidades de acesso às informações se multiplicam, tendo a Internet como um dos principais motores dessa nova forma de leitura.


Neste início de século, o...
tracking img