Professor

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 36 (8962 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A HISTÓRIA RAPIDINHA DA CRISE




(o dinheiro não traz felicidade mas paga umas boas férias em Paris)















1 - Voz Off





LOCUTOR - Boa Noite, Srs Espectadores.


CHATO - Espera espera... isto tem de ser conforme o acordo ortográfico!


LOCUTOR - Então, mas como é que devo dizer...


CHATO - Disseste espectadores... não éespectadores!...


LOCUTOR - Ah pois, tens razão. Está bem...


Boa Noite, Srs Espetadores! Sejam bem vindos à entusiasmante nova produção da com.tema: “A História Rapidinha da Crise”. Um espetáculo com grandes atores e atoras, exibido já com grande sucesso na Grécia, na Irlanda e no Egito... onde foi muito apreciado por todos os Egícios...


É egícios que se diz?CHATO - É..é...


LOCUTOR - Mas fica esquisito... enfim.


Infelizmente devido à entrada em funções do FMI, esta peça faliu. E vai ter apenas a duração de 2 minutos.


Beijinhos.








2 - Início/Fim






AFONSECA - Boa Noite!


O Conselho de Admnistração de Accionistas gostaria de lhe agradecer a si, sr. Espectador...


PEDRO- Espetador!


AFONSECA - ...sr. espetador, o facto de ter pago 10 euros pelo seu bilhete para ver História Rapidinha da Crise.


A partir deste momento, somos donos do dinheiro do seu bilhete e podemos fazer com ele o que quisermos. Por isso convertemos o seu dinheiro em obrigações que simbolizam dívida de activos futuros que colocámos no mecado numa derivativa de 4,55% à taxade 3,33% ao Ano TAEG ABS SPA XPTO.


Infelizmente o investimento não correu bem e por isso agora o seu bilhete não vale nada.


A peça não se vai realizar porque faliu. Só vamos devolver o dinheiro do seu bilhete se o governo injectar 800 milhões de euros na nossa conta.


Obrigado



3 - Voz Off






LOCUTOR – Alvíssaras! Alvíssaras!Alegria! Alegria!


Srs. Espetadores... Acabámos de receber uma fantástica notícia de última hora! O Governo Português acaba de injectar 800 milhões de euros na nossa conta.



4 - Entram todos (festas / dinheiro)






Todos entram em palco felizes da vida porque afinal há dinheiro para fazer a peça até que de repente um diz...


NUNO - Bem vamos parar com isto quetemos uma peça para fazer...


RODOLFO - ...eh pá temos 800 milhões de Euros... vamos fazer a peça para quê?


PEDRO - Tu desculpa lá! Tu queres insinuar, que nós devemos ignorar o sacrifício feito pelos espectadores...


RUI - ...espetadores


PEDRO - Espetadores, e olvidar os 10 euros que cada um deles pagou para estar aqui... e usar apenas o produto da nossaespeculação financeira para fugirmos covardemente às nossas responsabilidades vivendo uma vida de luxos boçais e vícios como o vinho, as drogas e as mulheres?


RODOLFO - ...claro!


PEDRO -Tá bem!


Saem todos de palco.



5 – Genérico - VÍDEO






Video do Genérico da peça. Aparecemos todos como ricaços. A esbanjar notas ao bom estilo Bitches and Glings.• A acender cigarros com notas,


• num Jacuzzi com gajas e o afonseca com um gajo a receber morangos na boca,


• a Comprar o cristo rei,


• a Comprar o messi e o Ronaldo para a equipa do união


• Barco com gajas e nós de robe a brindar champanhe


• Comprar carros luxuosos


O filme termina com os elementos do elenco a tentaremcomprar coisas numa joalharia, com o cartão de crédito a ser cancelado e a fugirem.


Ao mesmo tempo surgem capas de jornal (ao estilo anos 50) com títulos como “Rating da dívida de portugal baixa”; “Juros da dívida sobem”; “Cotações das empresas públicas descem”…



6 - Entrada das Tralhas






Entram dois actores em palco, a empurrarem os seus pertences em carrinhos...
tracking img