Produção

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 43 (10563 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
BALANCEAMENTO E
REBALANCEAMENTO DE LINHAS DE
MONTAGEM OPERADAS POR GRUPOS
DE TRABALHO AUTOGERENCIADOS

Flávio César F. Fernandes
Dep. Engenharia de Produção
Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
Via Washington Luiz, km 235 – Caixa Postal 676
13.565.905 – São Carlos – SP
E-mail: dfcf@power.ufscar.br

Andréia Gisele Dalalio
PCP da Textron do Brasil

v.7, n.3, p.378-398, dez.2000

Resumo
Este trabalho analisa detalhadamente o problema de balanceamento / rebalanceamento das linhas
de montagem operadas por grupos de trabalho autogerenciados propondo um modelo otimizante de
programação inteira que é tratado computacionalmente com êxito por meio da linguagem de modelagem GAMS (“General Algebraic Modeling System”) e solver Zoom. Não encontramos na literatura
trabalhosque tenham modelado matematicamente, de forma exata ou heurística, tal problema. Para
se estimar a eficiência futura da linha, um dos dados que o modelo necessita, propomos o uso de dois
métodos utilizados em outras áreas (curva de aprendizagem e previsão de demanda). Mostra-se a
diferença entre problema de balanceamento e de rebalanceamento bem como é feita uma revisão
bibliográficacomplementar a respeito do problema de balanceamento de linhas. Ela complementa a
última revisão dos métodos exatos que é de 1986 e a última dos métodos heurísticos que é de 1998.
Palavras-chave: linhas de montagem, balanceamento de linha, rebalanceamento de linha,
programação inteira, eficiência da linha.

1. Introdução

N

o momento de projeto das linhas de
montagem/produção aparece o problemade

balanceamento da linha. Durante a vida útil da
linha surge em vários momentos o problema de
rebalanceamento da linha. Assim, conceitualmente o balanceamento é um problema de

GESTÃO & PRODUÇÃO v.7, n.3, p.378-398, dez. 2000

projeto enquanto que o problema de rebalanceamento é um problema de operação da linha.
Porém, ambos consistem em efetuar a alocação
do trabalho ao longo dalinha segundo determinados critérios e levando em conta determinadas
restrições.
No problema de rebalanceamento existem
uma série de restrições que devem ser levadas
em conta, as quais não existem no problema de
balanceamento. Em termos de modelagem, esta
é a diferença entre ambos: o problema de
rebalanceamento contém mais tipos de restrições
do que o problema de balanceamento correspondente.Na literatura o único trabalho que
conhecemos que tratou formalmente a questão
do rebalanceamento é o de DAR-EL &
RUBINOVITZ (1991) no qual eles tratam da
questão de que com o passar do tempo, devido
ao efeito da curva de aprendizagem, principalmente no caso de produtos complexos, o tempo
de processamento das tarefas diminui (e não
necessariamente na mesma proporção) e assimrebalanceamentos são necessários e eles devem
incorporar a restrição de que determinadas tarefas
não podem mudar de estação para que não seja
afetado negativamente o aprendizado; para
efetuar tal rebalanceamento eles propõem um
modelo baseado no algoritmo MUST de DAR-EL
& RUBINOVITCH (1979) que foi criado para o
caso convencional de balanceamento.
Nenhum problema de balanceamento de linha
já tratado naliteratura trata de todas as restrições
que tratamos neste trabalho. Este trabalho
também é o primeiro a tratar o problema de
balanceamento para o caso em que a linha de
montagem é operada por grupos autogerenciados
de trabalhadores. Por se tratar do aspecto mais
original deste trabalho, esse último aspecto será
tratado detalhadamente neste artigo.
Na literatura estrangeira o tema linhasde
montagem/produção e em particular o balanceamento de linhas contemplam um número grande
de pesquisas. No Brasil, este tema é muito pouco
estudado apesar de sua importância; muitas
empresas globalizadas vieram para o Brasil
ultimamente e só realizam aqui a montagem. Na

379

seção 2, fazemos uma revisão complementar
sobre o balanceamento de linhas de montagem.
Na seção 3 modelamos o...
tracking img