Problemas espirituais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 644 (160854 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

Quem disse que o cristão evangélico está livre de problemas?

"Tenho-vos dito estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo" Jesus Cristo (João 16:.33)

Somos humanos e pecadores e todos carecemos da GRAÇA de DEUS.

"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" (Romanos 3.23)Este e-book reúne em um só volume uma série de e-mails enviados ao irmão Caio Fábio D´Araújo Filho, entre 2004 e 2005, pedindo conselhos e orientações ao experiente pastor, acerca de problemas conjugais, sexuais, traumas e angústias de quem procura alguém para desabafar, confessar, gritar pedindo socorro, enfim... de quem busca ajuda e palavras de consolo.

Por questões de privacidadeobviamente os nomes dos remetentes foram omitidos.

Bem vindo ao consultório virtual do irmão Caio, uma sala pastoral dentro do site www.caiofabio.com que pode ajudá-lo a entender seu sofrimento.

"Mas graça a Deus que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo" (1Coríntios 15.57)





VOCÊ LUTA CONTRA AS TENTAÇÕES?

Tentação! Quem não as tem? Quem nunca as teve? Quem jamaisas terá? Sim, de todos os tipos e de todas as formas. Indo de realidades subjetivas às mais grotescas vontades de realizações objetivas e concretas.

O Evangelho praticamente inicia com o tema da tentação!

Por isto não é de admirar que Jesus tenha nos mandado vigiar e orar para não se "cair em tentação". E com este "cair em...",

Ele revela que a tentação tem suas estações; ouseja: seasons.

Ora, esta "estação das tentações" têm a ver com as dinâmicas psiquicas de nosso ser, conforme também aconteceu com Jesus.

Na fome, na necessidade de afirmação e no desejo de cumprir Sua missão, a tentação veio como indução para transformar pedras em pães (fome), como impulso para resolver quem Ele era aos olhos de todos de uma vez (Pináculo) e como um "bypass" no tempo,queimando etapas, sobretudo a etapa da Cruz (o Monte Alto).

Portanto, quando Ele mandou orar para evitar a tentação, com isto não ensinava nem a devoção neurótica (orar contra a tentação), nem a atitude paranóica (poderei ser atingido pela tentação a qualquer momento).

Sim, porque o que Ele ordena é que se encha a mente de oração, de um falar constante com Deus, e que nada mais ésenão um falar consigo mesmo em Deus; de tal modo que o pensar não é de si para si, mas acontece em Deus, vivendo assim em permanente estado de conferência com Ele; em tudo.

Além disso, no Pai Nosso, Ele vincula o "não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mau" — ao contexto antecedente, que fala de estar cheio e tomado pelo Pai, pelo desejo de que Seu nome seja em nós santificado,que sei reino cresça em nós (venha!), que a vontade Dele tenha seu lugar e chão em nós; além de nos remeter para a busca do que é do céu aqui na Terra.

Assim, uma das maiores prevenções contra a tentação tem a ver com uma devoção profunda e não neurótica; posto que se propõe a buscar o que é maior e mais elevado, ao invés de se deixar tomar pelo que aqui da Terra. Botar as coisas da Terrasobre aquilo que é eterno, é o que abre o espaço existencial maior para a tentação.

Portanto, "orai...", diz Ele, para que não se caia em tentação!

É esse orar aquilo que mais e melhor previne a estação das tentações.

Todavia, se alguém decide orar contra ou por causa da tentação, mais tentado ainda ficará; posto que a tentação, pela via da oração e por ela própria, se torna algo"fixo como pensamento", e que apenas cresce mais e mais em nós.

Este tema da tentação é interminável, como infindáveis são as pulsões de tentação humana. Entretanto, sendo simples e prático, eu digo que o que de melhor se pode fazer por si mesmo na hora da tentação, não é pensar que podemos vencê-la, mas sim que não temos o poder, em nossa carne, para combatê-la... E, assim, sabendo...
tracking img