Problema e as principais escolas filosóficas

1
SAVIANI, Dermeval. Educação: do senso comum á consciência filosófica. Campinas, SP: Autores Associados, 2007. P. 12-19

1. NOÇÃO DE PROBLEMA 1 Mas que é que se entende por problema? Tãohabituados estamos ao uso dessa palavra que receio já tenhamos perdido de vista o seu significado. 1 .1. Os Usos Correntes da Palavra “Problema” Um dos usos mais frequentes da palavra "problema" é, porexemplo, aquele que a considera como sinônimo de questão. Nesse sentido, qualquer pergunta, qualquer indagação é considerada problema. Essa identificação resulta, porém, insuficiente para revelar overdadeiro caráter, isto é, a especificidade do problema. Com efeito, se eu pergunto a um dos leitores: "Quantos anos você tem?", parece claro que eu lhe estou propondo uma questão; e parece igualmente claroque isso não traz qualquer conotação problemática. Na verdade, a resposta será simples e imediata. Não se conclua daí, todavia, que a especificidade do problema consiste no elevado grau decomplexidade que uma questão comporta. Nesse caso estariam excluídos da noção de problema as questões simples, reservando-se aquele nome apenas para as questões complexas. Não se trata disso. Por mais queelevemos o grau de complexidade, mesmo que alcemos a complexidade de uma questão a um grau infinito, não é isso que irá caracterizá-la como problema. Se eu complico a pergunta feita ao meu suposto leitor elhe solicito determinar quantos meses ou, mesmo, quantos segundos perfazem a sua existência, ainda assim não estamos diante de algo problemático. A resposta não será simples e imediata, mas nem porisso o referido leitor se perturbará. Provavelmente, retrucará com segurança: "Dê-me tempo para fazer os cálculos e lhe apresentarei a resposta"; ou então: "Uma questão como essa é totalmente destituídade interesse; não vale a pena perder tempo com ela". Note-se que o uso da palavra "problema" para designar os exercícios escolares (de modo especial os de matemática) se enquadra nessa primeira...
tracking img