Principios espirituais para um casamento duradouro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1505 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
PRINCÍPIOS ESPIRITUAIS PARA UM CASAMENTO DURADOURO
TEXTO: Ef. 5: 22 – 33
Súmula Introdutória: O casamento é uma sociedade, em que cada parte desenvolve um papel específico e essencial (vital) para a preservação duradoura da instituição. É uma relação, em que as partes devem interagir constantemente, não em forma de atrito (desacordo), mas silogismo (harmonia). O texto sagrado possui umaênfase de reciprocidade, ou seja, as responsabilidade ou compromissos (aliança) assumido por ambas as partes deve ser cumprido, caso contrário ambos sofrerão as conseqüências mediatas da negligência.
I. APRENDENDO ALGUNS CONCEITOS:
Quanto as Esposas:
a) SUBMISSÃO: (1Pd. 3:1; Ef. 5:22-24) Sub + missão (debaixo de uma missão). Qual a missão da mulher? Ela é auxiliadora (Gn. 2: 18 – “A que estáao lado para ajudar”) e idônea (sig. “adequado, apto e competente”). Em relação ao seu marido a mulher realiza dos papeis: 1º) Mulher – aquele que atende suas ansiedades emocionais e sexuais – como mulher ela busca a satisfação, o prazer, o carinho do homem; 2º) Esposa – aquele que atende suas necessidades físicas (promotora do bem-estar). Como esposa ela preocupa-se com o bem-estar da casa eseus ocupantes – atividade doméstica.
Na Prática – Submissão é quando a mulher reconhece a posição de liderança do marido, sendo dele a palavra final (decisão). Ela sempre consulta-o sobre qualquer posição ou decisão final a ser tomada.
b) OBEDIÊNCIA: (1Pd.3: 6) sujeitar-se as ordens coerente (não absurdas). É a postura de serva, ou seja, coloca-se de bom grado para fazer uma determinadaação. Enquanto, o escravo é aquele que cumpriam as ordens por obrigação e insatisfeitos.

Quanto aos Maridos: E, os maridos, suas responsabilidades são muito mais sérias.
a) “Igualmente” (1Pd. 3: 1, 7): Implica que as responsabilidade são recíprocas, ou seja, uma atitude leva a outra, uma completa a outra. Quando apenas um lado cumpre seu papel – as ações serão sacrificais, embora nãonegligenciais (uma parte não deve cumprir seu papel em razão do outro). Cada qual cumpra sua missão e, então serão completos, caso contrário cumpra seu papel, mas prepare-se para ter problemas. A Palavra de Deus não abre espaço para desobediências ou descasos de responsabilidades assumidas Diane de Deus (Uma aliança foi firmada na presença de Deus);
b) “Vivei a Vida Comum do Lar”: O marido é provedor,responsável pela manutenção e dos recursos necessários para o bem-estar de sua casa e seus ocupantes; Não significa apenas colocar a comida pra dentro de casa, todavia ser participante das atividades do lar (quantas vezes você já parou para ajudar suas esposas em atividades no lar? Você acha que é desonra? Muito pelo contrário, a casa é uma das “instituições” mais difíceis de ser administradas...c) “Tratai com dignidade, como a parte mais frágil”: O marido é protetor, cuida de sua esposa, não a desvaloriza, não a despreza, busca oferecer condições para ela está sempre apresentável, não usa de maus tratos (violência) e não força a nada que a desmoralize (conveniente);
d) “Amai vossas mulheres”: Vejamos algumas implicações deste tipo de amor: 1º) Como Cristo se entregou pelaIgreja – ele deu o seu sangue para apresentá-la gloriosa e imaculada, sem ruga ou defeito (devemos lutar para mantermos a boa aparência de nossa mulher, sua moral e honra seus valores); 2º) Como ao seu próprio corpo: Cuida de sua saúde, estética e a apresentação. Quando um marido reclama da imagem de sua mulher, a culpa é sua! Porque não a incentiva a cuidar-se? a apóia? Oferece as condições paraajudá-la? Se sua família veste-se desajeitada... se andam com mal cheiro...adivinha de quem é culpa?
3º) “Dela cuida”: Ele deve alegrá-la (Cl. 3: 19); promover momento de descontração, lazer e diversão para sua família; Ele deve incentivá-la com palavras e atitudes de louvor; Ele deve cuidar de sua santificação, seu amor a Deus com oração e devocionais.

II. CONSELHOS PARA UM...
tracking img