Principios da contabilidade

Princípios da Contabilidade e Resolução da Comissão de Valores Mobiliários (CVM)

Trabalho realizado em grupo com o intuito de entender melhor os preceitos contábeis. Mister é a abordagem dos princípios para que haja perfeita harmonia no estudo da disciplina de contabilidade.
Orientador: Prof. Angelita Delfino

Porto Alegre, novembro de 2010
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO 04DESENVOLVIMENTO......................................................................................05 a 20
CONCLUSÃO 21
BIBLIOGRAFIA..........................................................................................................22


INTRODUÇÃO

O objetivo do trabalho é analisar pormenorizadamente os Princípios da Contabilidade, para que, posteriormente, possamos entender melhor a aplicabilidade dosmesmos na disciplina e, até mesmo, em nossas carreiras profissionais.
Os princípios da Contabilidade são constantemente visualizados no cotidiano das empresas, e nada melhor do que um estudo detalhado de tais preceitos para fazer com que o acadêmico lide melhor em situações adversas.
O presente trabalho não trata apenas de Princípios da Contabilidade, mas também da Deliberação da CVM N.º 539, de14 de março de 2008. A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é “uma autarquia vinculada ao ministério da Fazenda e tem por escopo disciplinar, normalizar e fiscalizar a atuação dos diversos integrantes do mercado”. A deliberação – conforme estudaremos mais adiante – trata, basicamente, dos conceitos que fundamentam a preparação e a apresentação de demonstrações contábeis destinadas a usuáriosexternos.

DESENVOLVIMENTO

Princípios da Contabilidade

Princípio da entidade

O patrimônio da empresa não se mistura com o dos sócios. Não se deve usar o patrimônio da empresa para fins próprios assim como não devemos usar o nosso patrimônio para cobrir despesas da empresa, essa diferenciação é necessária para se saber qual o real lucro e/ou prejuízo acumulado pela empresa e osinvestimentos necessários a serem feitos.

Dispõe o art. 4º, parágrafo único da resolução CFC 750/93 que “o patrimônio pertence à entidade, mas a recíproca não é verdadeira. (...)”.

Exemplo: Você é dono de uma empresa, se a sua empresa pagar com dinheiro do caixa da empresa uma conta no seu nome (ex: uma conta de telefone da sua casa) está havendo uma QUEBRA do principio da entidade... ou seja: pararespeitar esse principio, as situações que interferem em seu patrimônio quanto pessoa física(contas por exemplo) devem afetar apenas seu patrimônio de pessoa física e não podem avançar sobre o patrimônio da sua empresa (pessoa jurídica).

Conclui-se que o Principio da Entidade tem a função de separar os direitos e obrigações entre pessoa física e pessoa jurídica, a fim de manter a real situação dasduas entidades.

Princípio da continuidade

Continuidade é até mais que um princípio, é um Postulado no qual é necessário para se ter a contabilidade.

Quando uma instituição é criada (seja empresa, ONG, etc) ela se considera como de Duração Ilimitada. Se ela conseguir manter-se nesta forma temos o princípio da continuidade aplicado, pois haverá contabilidade enquanto existir empresa.

Omesmo para empresas de temporada. Uma empresa abre pra funcionar apenas nos 3 meses do verão. Ela está definindo sua continuidade (3 meses) logo só haverá contabilidade neste período.

Quando da falência também temos o princípio aplicado. Assim que a empresa é fechada encerra-se a contabilidade demonstrando que, com o fim do uso do princípio da continuidade, não há mais atividade contábil namesma.

Resumidamente, diz que: As atividades das Entidades Contábeis são algo em andamento, não se pressupondo interrupção (ex: de interrupção: descontinuidade - liquidação).

Exemplo: a abertura de uma empresa e sua permanência no mercado. Claro que enquanto houver retorno ($$$) a empresa tem interesse em permanecer com as portas abertas, indefinidamente.

O Princípio da Continuidade é um...
tracking img