Principe de maquiavel

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2068 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Síntese da Obra “O Príncipe” de Maquiavel.

Mesmo quem nunca ouviu falar de Maquiavel já deve ter ouvido a expressão “maquiavélico”, esse termo é usado para pessoas que são desprovidas de princípios éticos ou morais, cínicas, de má-fé, enfim, pessoas más e sem escrúpulos. No entanto veremos na obra a seguir o quanto Maquiavel dava importância a lealdade e honestidade, mesmo dirigido aosgovernantes, "O Príncipe", pode ser perfeitamente aplicado ao cidadão comum, pois apresenta uma lição sobre as reais intenções de um governante ambicioso, que usava todas as armas para conseguir o que queria. O objetivo de Maquiavel em sua obra era de formar regraas de governo eficazes, tendo como base experiências políticas antigas e novas, independente se fossem carater moral ou imoral das própriasregras.
A obra foi dirigida a um principe que queria governar de forma mais eficaz possível, sendo assim Maquiavel começa destacando diferentes tipos de estado e como cada tipo afeta a forma de governo do principe. Maquiavel tambem ensina o principe como dominar o Estado, não só dominar mas como manter esse domínio, como por exemplo, seria muito mais facil manter o dominio sobre principadoshereditários do que em principados novos.
Naquela época a península itálica encontrava-se inteiramente fragmentada, o que havia era um conjunto de pequenos Estados marcados por conflitos, sem fronteiras fixas, vulneráveis às invasões estrangeiras, por isso a obra trata desses principados hereditários e novos destacando as condições de conquista, conservação e queda, também destaca os obstáculos aserem enfrentados, fazendo de tudo isso um manual para o governante resolver conflitos.
Do início ao fim do livro, Maquiavel, para quem a finalidade da arte política é a manutenção do poder, induz aos governantes às decisões ditadas pela força. Impera a chamada lei do mais forte ou mais esperto. Suas idéias os recomendam a assumirem suas "feras", ou seja, a adotarem praticas animalescas; nasações agressivas, na demarcação territorial, no ritual e no estabelecimento da hierarquia social - funções do instinto animal geradas no complexo réptico, parte cerebral mais primitiva. O poder maquiavélico consiste num poder sub-reptício, onde suas intenções e finalidades são dissimuladas, utilizando-se de meios secretos e ocultos, imorais, agressivos e perversos para alcançarem seus objetivos.
Claroque para uma obra dessa magnitude houveram várias interpretações sociais, os ricos achavam que a obra ensinava os governantes de como tirar toda a sua fortuna, já os mais pobres achavam que a obra ensinava os ricos a tirar a liberdade dos mais pobres.
A conquista do poder, segundo Maquiavel só é possível através de quatro maneiras: Virtú, fortuna, violência e consentimento dos cidadãos. Porisso a desconfiança dos ricos e pobres, os ricos achavam que lhe roubariam para que tivessem mais poder e os pobres achavam que os ricos tinham grandes fortunas e assim teriam poder sobre eles.
Ao contrário do pensamento político grego e medieval, Maquiavel não discute como deve ser o “bom Governo”, o “bom Governante” ou o “bom Cidadão, para maquiavel deve se examinar as coisas como elas são e nãocomo gostaréamos que fossem. Para Maquiavel é interessante analisar como os homens governam e qual o limite ao uso da violência para conquistar ou conservar o poder. Ele busca através da análise detalhada das regularidades da história basear suas orientações na chamada verdade efetiva das coisas, que seria sua marca registrada de seu pensamento.
Isso demonstra que o autor, com essas idéias possater reforçado, em alguns aspectos, a tradição do pensamento antigo, em detrimento da ciência moderna. Ele não leva em conta as raízes sociais e econômicas dos conflitos no interior das formações sociais enfocando apenas as disputas do poder pôr príncipes - a disputa do poder pelo poder - tratando o cidadão comum como cidadão-soldado, distinguindo-o do cidadão-príncipe, esse sim, tratado como...
tracking img