Primeiro ano de vida- spitz

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2133 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O primeiro ano de vida --- Spitz, R.

Introdução
1) Freud fala do que se passa no sujeito e não de relações com o objeto, pioneirismo de Spitz

O estágio pré-objetal
1) Um objeto é uma pessoa definida. O objeto libidinal (ou simplesmente objeto) é uma pessoa investida de amor, que na tradição freudiana origina-se da pulsão sexual.
2) Este estágio pré-objetal corresponde aonarcisismo primário de Freud
3) “neste estágio o recém-nascido não consegue distinguir uma ‘coisa’ da outra, não consegue distinguir uma coisa externa de seu próprio corpo e não percebe o que o rodeia como sendo separado deles mesmo” (Spitz)
4) Protegido por forte barreira contra estímulos
5) A percepção é interoceptiva ou proprioceptiva
6) Apenas desprazer e quietude no plano dosafetos
7) Sobre a percepção :
* os cegos de nascimento de Von Senden
Um paciente operado via apenas diferentes tipos de brilho, não percebia que vinha dos olhos, só percebeu fechando os olhos
* a percepção não é localizada, é extensiva, global. Spitz chama de cenestésica
* os cegos operados muitas vezes queriam voltar a cegueira porque a visão bagunçava as percepções organizadasque tinham antes
* apreendiam a ver quando acompanhados por pessoas afetuosas
* Spitz chama a percepção localizada no tato, na visão, no olfato, na audição, de diacrítica
* O recém-nascido percebe cenestesicamente
4) Os primeiros refexos >>>>>>
* Enraizamento: a estimulação da parte externa da boca, provoca a rotação da cabeça em direção ao estimulo eabocanhamento do bico do seio >>>> cavidade primária: “parece existir na criança, ao nascer, certas zonas e órgãos sensoriais que considero transicionais, servindo de mediadores entre os órgãos sensoriais periféricos e os viscerais, entre o interior e o exterior. Descrevi um deles, a região oral eu se estende de um lado pela laringe, faringe, palato, língua, e interior da bochechas e, por outrolado, inclui os lábios, o queixo, o nariz, e a parte externa da superfície da bochecha, em uma palavra, o focinho’ (p.56)
* Reflexo de preensão. O recém-nascido fecha a mão se lhe tocamos a palma. O bebê apóia a mão no seio quando mama
* Uma semana depois, se pegamos o bebê e o deixamos na posição horizontal, ele gira a cabeça para o peito >>> reflexo ligado ao labirinto(equilíbrio)
5) Logo o bebe faz movimentos rítmicos com a mão apoiada no seio quando suga o seio. A amamentação transborda para a mão, como diz Spitz
6) já vimos que o labirinto junta-se a amamentação: são núcleos do ego que se organizam
7) o adulto deixa ver esta conexão no mal-estar em navio: “ No adulto que fica enjoado, percebemos uma exemplificação impressionante da conexão entre labirinto,aparelho gastrointestinal, superfície da pele, mão e boca. Pois, os sintomas de enjôo são võmito, diarréia, transpiração e palidez da pele , transpiração palmar e salivação forte” (p80).
8) A comunicação entre mãe e bebê é feita nas categorias de tensão, pressão, equilíbrio, postura, vibração, ritmos, tom de voz, contato com a pele, etc.
9) Na amamentação o bebê olha para o rosto da mãe → Obico pode escapar (=frustração), mas a visão do rosto permanece
* Esta circunstancia induz a passagem da percepção por contato (cenestésica) para a percepção à distância (diacrítica)
* Na quarta semana de vida, ‘há apenas um objeto de percepção que o bebê segue com seus olhos à distância, e este objeto é a face do adulto

O precursor do objeto
1) Resposta do sorriso.
* O bebêsorri para o rosto humano em movimento, pode ser apenas o movimento da boca
* “Este sorriso é a primeira manifestação comportamental ativa, dirigida e intencional, o primeiro indicador da transição de completa passividade do bebê para o inicio do comportamento ativo que, de agora, em diante desempenhará um papel cada vez mais importante’ (89)
* No acompanhamento do rosto, o bebê não tinha...
tracking img