Precarizacao do ensino superior no brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3047 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Capítulo I
1.1 CONTEXTO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR NO BRASIL

Quando se fala em educação superior, é necessário fazer um resgate dos acontecimentos históricos, não é uma tarefa simples, para entender esse processo é importante buscar fontes que tem compromisso com a sociedade. De acordo com Chauí nosso sistema educacional foi extremamente desmantelado no período da ditadura militar, é nesse períodoque surge às intuições privadas com um grande incentivo governamental. A ideia era oferecer uma alternativa em relação as universidade publicas, pois essa era destinada a filhos da classe dominante, as universidade privadas surge com a necessidade de aprimorar o conhecimento da classe trabalhadora, essa alternativa não só garantiu que o governo fizesse a sua parte, como também o ajudou a controlar aclasse trabalhadora, pois eram cursos que ensinavam a reproduzir não a pensar.

(...) a classe dominante aguardou o resultado esperado: os alunos de primeiro e segundo graus das escolas públicas, quando conseguem ir até o final desse ciclo, por suposto estariam "naturalmente" destinados à entrada imediata no mercado de trabalho, não devem dispor de condições para enfrentar os vestibulares dasuniversidade públicas, pois não estão destinados a elas. A maioria deles é forçada ou a desistir da formação universitária ou fazê-la em universidades particulares que, para lucrar com a sua vinda, oferecem um ensino de baixíssima qualidade (Chauí, 2001, p. 36-37)

As universidades privadas oferecem um ensino de qualidade questionável, que acaba contribuindo para a ignorância e ao esquecimento dahistoria do pais, a consequência dessa grande negligencia é formação irregular dos alunos. Conforme o crescimento das universidades privada o conhecimento vem se perdendo. Hoje as universidade brasileiras vem sofrendo com uma grande crise, pois não estão preocupadas em formar elites dirigente e sim para adestrar a mão de obra, mesmo assim essas universidade não estão aptas a formar essas mãos deobras onde localiza a sua "crise"

Certa vez, numa aula que dei em São Paulo, afirmei que as universidades brasileiras pensam e ensinam de costas para o nosso país. E, para provar o que estava dizendo, pedi que levantassem a mão os que, ali, pelo menos uma vez, já tivesse ouvido falar em Kant. Todo mundo fez mundo fez o gesto que eu solicitara. Fiz então, pedido igual a Matias Aires – e somente umrapaz ergueu, de novo, a mão que baixara. Comentei: estão vendo? Mathias Aires, o maior pensador da língua portuguesa do século 18, era brasileiro e paulista; e, aqui, só é conhecido por aquele rapaz que alí está! Voltei-me para o solitário e indaguei: Você já leu Matias Aires? Ou somente ouviu falar sobre ele, em algumas das aulas que recebeu? O rapaz respondeu: Nem uma coisa nem outra. Conheçoo nome porque, aqui em São Paulo, moro na rua Matias Aires(Suassuna, 1999, p. 1-2).

O governo então para ficar isento de sua responsabilidade, impulsiona o comercio das universidades privadas reduzindo os impostos, em troca disso exige uma cota de bolsas para alunos que conseguem ingressar nos programas de bolsas de estudo, dessa maneira as universidades publicas ficam cada vez mais distante daclasse trabalhadora, fazendo com que o ensino superior se torne uma das fontes de comercio mais promissora e os trabalhadores optem pela universidade privada e em outro caso desista de uma formação acadêmica.

(...) as instituições de Ensino Superior Privadas e com a causa maior do capital não tem tamanho, o governo reduz cerca de 15% ( quinze por cento) os gastos das faculdades privadas em trocade modestíssimas vagas. Os benefícios fiscais dados as IES privadas retiram recursos precioso do setor público e estimulam a expansão do setor privado convertendo, no plano imaginário social, a educação da esfera do direito para a esfera do mercado(Araújo e Correia, 2005, pag. 100)

1.2 A mercantilização da educação e as transformações do modo de trabalho dos docentes

(...)a expansão do...
tracking img