Praticas de saude

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 13 (3159 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
ORIGENS DA ENFERMAGEM



“ A enfermagem é a arte e a ciência do CUIDAR, necessária a todos os povos e a todas as nações, imprescindível em época de paz ou em época de guerra e indispensável à preservação da saúde e da vida dos seres humanos em todos os níveis, classes ou condições sociais”. GEOVANINI (1993)


Desde os seus primórdios, a Enfermagem vem exercendo umtrabalho acrítico, fruto de uma formação, onde o modelo de assistência era centrado na execução de tarefas e procedimentos rápidos e eficientes, comandado por rígida disciplina. Na sua trajetória histórica, sofreu diversas influências, que foram moldando seu perfil tendo absorvido de maneira marcante, aquelas advindas do paradigma religioso militar.

Esta retrospectiva não visa realizar umaexposição cronológica de fatos e personagens, mas um exame crítico que permita entender o sistema de relações resultantes da Enfermagem como atividade criadora, efetiva e racional, inserida na totalidade histórica.

O desenvolvimento das práticas de saúde está intimamente associado às estruturas sociais das diferentes nações em épocas diversas.

Cada período histórico é determinado por uma formaçãosocial específica, trazendo consigo toda uma caracterização própria que engloba a filosofia, a política, a economia, suas leis e sua ideologia.

A história da profissão deve despertar em seus profissionais, uma maior compreensão dos deveres que lhe impões e mais entusiasmo pelo seu ideal.

A periodização obedece à relação do objeto de pesquisa com a realidade histórica e é identificada atravésdos pontos críticos, nos quais ocorre uma transformação qualitativa ou uma mudança significativa nesta relação, ficando assim subdividida:

a) As práticas de saúde instintivas.
b) As práticas de saúde mágico-sacerdotais.
c) As práticas de saúde no alvorecer da ciência.
d) As práticas de saúde monástico-medievais.
e) As práticas de saúde pós-monásticas.
f) As práticas de saúde no mundomoderno



AS PRÁTICAS DE SAÚDE INSTINTIVAS.

“ A solicitude maternal, agindo para proteção do filho, é uma das expressões óbvias do instinto de conservação da raça.” CAMPOS ( 1976)

Partindo do ponto de vista das duas teorias do surgimento do homem no planeta, a mulher é a grande precursora do atendimento às necessidades de saúde da raça humana. Isto porque a divisão socialdo trabalho, na estrutura familiar dos grupos primitivos, contemplou-a como responsável pelo cuidado com as crianças, velhos e doentes.

Na concepção evolucionista, tal argumentação é defendida por todos os historiadores e antropólogos. Na concepção teológica, também coube à primeira mãe, EVA, o cuidado para com seus filhos.

A proteção materna instintiva é, sem dúvida, a primeira forma demanifestação do homem, no cuidado ao seu semelhante, pois, mesmo nas épocas nômades, quando as crianças eram sacrificadas por atrapalharem as andanças dos grupos em busca de alimentos, muitas foram salvas devido aos cuidados de suas mães.

AS PRÁTICA DE SAÚDE MÁGICO-SACERDOTAIS.

“ ... a estruturação da sociedade em classes leva à constituição de uma casta sacerdotal que seapodera das funções médicas, encaradas como um segredo tradicional e simultaneamente como manifestação do poder curador da divindade. “ PETIT ( 1989)

Sempre em articulação com as estruturas sociais das diferentes civilizações, as práticas de saúde foram-se difundindo e se diferenciando e é, a partir da Grécia clássica, que vamos encontrar dados relevantes que permitem a compreensão da suaevolução.

A terra pertence ao Estado ou, mais freqüentemente, às aristocracias locais, ou, ainda, a uma classe camponesa de médios proprietários e é cultivada pelos trabalhadores rurais e pelos escravos.

A transmissão do poder obedece ao princípio da hereditariedade, sem, contudo haver um critério que a legitime, pois, em razão da poligamia, que era comum, as intrigas e contestações armadas eram...
tracking img