Pratica do historiador

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1160 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
PRATICA DO HISTORIADOR
































1. INTRODUÇÃO


No presente trabalho será desenvolvido um estudo bibliográfico a respeito da história do historiador, suas características, sua importância, pratica realizada e evoluções sofridas. Naqueles tempos os historiadores passavam por enorme dificuldade, pois eles eram limitados aescrever sobre os acontecimentos, descrever batalhas e traçar genealogias dos nobres, não possuiam liberdade de expressão, de pesquisar sobre os assuntos, agiam como cronistas, narrando fatos. Com o decorrer do tempo foram conquistando o seu espaço, procurando estabelecer uma relação entre a história da antiguidade com a história da atualidade. Verifica-se então que estudar história éextremamente complexo, pois história vai a cada dia aumentando e surgindo novos fatos, novos estudos, novas forma de ver o mundo, como dizia Marc Bloc “uma ciência em contínua construção”.
E NÃO HÁ UM CONCEITO ÚNICO DE HISTÓRIA, TAMPOUCO UM SIGNIFICADO QUE CONSIGA ABARCAR TODOS OS SENTIDOS QUE A PALAVRA PODE ASSUMIR NO DIA A DIA DAS PESSOAS.
SENDO ASSIM, COM A HISTÓRIA FOI POSSIVEL TAMBÉMPROMOVER UMA INTER-RELAÇÃO COM AS OUTRAS DISCIPLINAS, CONTRIBUINDO PARA UM MELHOR ENTENDIMENTO DESTA, OU SEJA, HOUVE UMA INTERDISCIPLINARIEDADE, LIGANDO FATOS CRONCRETOS A HISTÓRIAS E ACONTECIMENTOS.


















2. DESENVOLVIMENTO
2.1 Pratica do Historiador
2.1.1 Na antiguidade
De acordo com Ferreira (2009, p.31) a história como campo disciplinar surgiu ao longo doséculo XIX. Até então, a maneira de compreender os fatos do passado era diferente. Do seu surgimento como um gênero, na Grécia, até a sua profissionalização, no século XIX, a História ocupou importância variada, conforme as necessidades do momento. O historiador, muitas vezes próximo de um cronista, limitava-se, dentro do espírito da época, a recolher ações exemplares do passado,estabelecer linhas dinásticas dos reis, traçar genealogias dos nobres, descrever batalhas. O entendimento da função do historiador está diretamente relacionado à função da História no plano social. Seu papel será tão mais importante quanto for a consciência da relevância da História para a leitura e a compreensão do cotidiano das pessoas de seu tempo. A partir do século XIX, progressivamente, aHistória foi se tornando um espaço de saber dominado por especialistas, que passaram a ter formações específicas e ainda, alguns escritores passaram a se preocupar com o que denominava a “história da sociedade”. Uma história que não era só de guerra e da política, mas também preocupava-se com as leis e o comercio, costumes etc. E assim ganhou espaço a noção de que, embora o historiador não seja o“proprietário” do passado, ele é quem melhor detém instrumentos para realizar um trabalho baseado em critérios acordados pela comunidade de historiadores, porque detém as técnicas e crivos que dizem respeito a um conhecimento específico.

2.1.2 Na atualidade
Define-se como Nova História a influência das ciências sociais e não mais a influência das ciências naturais sobre ahistória, isto é, até o surgimento dos annales a história tradicional regia-se pela metodologia positivista, inspirada nas ciências naturais (França 2009, p. 40).


E também diz Ferreira (2009, p. 45)
(...) em 1948, tendo como presidente Lucien Febre, deu impulso a um profundo movimento de transformação no campo da História. Em nome de uma História total, uma nova geração dehistoriadores, que mais tarde ficou conhecida como École des Annales (Escola dos Annales), passou a questionar a hegemonia da História política, atribuindo-lhe um número infindável de defeitos: era elitista, anedótica, individualista, subjetiva, factual. Em contrapartida, esse grupo defendia uma nova concepção, em que o econômico e o social ocupavam lugar prrivilegiado. Dentro dessa perspectiva,...
tracking img