Pragmatismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1254 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Pragmatismo
Verbete Curto
Paulo Ghiraldelli Jr.*
Pragmatismo: a tese no campo metafísico – a experiência. Podemos apostar que tudo no mundo é material (da ordem do físico). Ou podemos apostar que tudo no mundo é espiritual (da ordem do pensamento). Ou, ainda, podemos querer optar por dizer que o mundo comporta o espiritual e o material.
Quando adotamos a primeira aposta, podemos ficarincomodados com a idéia de que teremos de fazer do pensamento uma forma do físico, ou manifestação do físico. Quando ficamos com a segunda aposta um incômodo equivalente surge, pois não conseguimos nos convencer que tudo no mundo é, de certo modo, da ordem do pensamento.
Bem, a terceira opção seria a mais razoável. O que é pensamento é pensamento, e o que é físico é físico. Acabaram-se os problemas?Claro que não. Aqui também há um incômodo: surge a dúvida de se somos capazes de explicar como que ocorre a relação entre o físico e o pensamento. Começamos com a célebre glândula pineal de Descartes e a partir daí vamos de explicações em explicações que, cada vez mais, explicam menos.
O pragmatismo surgiu no momento em que essa terceira opção começou a nos parecer um caminho pouco promissor.Afinal, qual o benefício em se dizer que o mundo é feito de uma coisa ou outra, ou de ambas? Qual a razão para nos mantermos fiéis à idéia de que o mundo tem de ser feito de uma substância ? Por que Aristóteles teria de ainda estar vigente, com o conceito de substância, martelando nossas cabeças? Não seria melhor antes mudar de pergunta do que ficar tentando encontrar uma resposta
para uma pergunta jádesgastada?
O pragmatismo veio exatamente com essa proposta: vamos parar de achar que o mundo tem de ser feito de uma substância, vamos tomar o mundo segundo uma idéia menos atávica. Ele pode ser aceito como um conjunto variável de relações. Ora, relações? Sim – só relações! Em vez de falarmos de coisas, vamos falar de relações. Podemos continuar usando os termos que até então estávamos usando,um tanto reificados como pedra, homem, terra, leão, computador, amor e frauda. Claro, não vamos abandonar de uma hora para a outra nossa linguagem, que é nosso pensamento. Mas podemos imaginar que cada uma dessas “coisas” é um feixe contingente de relações.
Assim, quando fazemos isso, nos libertamos da idéia de substância – algo perene, imutável, que seria o núcleo de cada coisa – e passamos aviver com a idéia de que tudo está em contínua mudança segundo as relações que vão se estabelecendo. Essas relações podem ganhar nomes diferentes, segundo o campo que recortamos para conversar, falar, estudar ou investigar. Um desses nomes é “experiência”.
Pragmatismo vem de pragma , que vem de prasso , que quer dizer “prática”, “feito”, “façanha” e similares (e que origina também a palavra práxis).Ora, o que é considerar a prática e o feito senão considerar a experiência?
Experiência é exatamente isso: o que se monta conjunturalmente pela prática, feito, façanha – práxis. Assim, o mundo é um conjunto de relações, ou, falando de outro modo, um conjunto variável de experiências. Caso o homem queira tirar as melhores maneiras de se conduzir no mundo, ele que entenda essa característicarelacional e prática do mundo, ele que dê atenção para a experiência. Está foi a novidade do pragmatismo.
Pragmatismo – a tese no âmbito epistemológico: o método para a verdade.
Um caminho (inicial) para termos em mãos algo que se possa chamar de conhecimento é o de aceitar a definição de Platão; chamaríamos conhecimento a “crença verdadeira justificada”.[1] Nessa acepção, para ter em mãos crençasque sejam conhecimento é necessário ter também enunciados verdadeiros. Tendo isso em mente, William James definiu o pragmatismo como um “método para a verdade” antes que uma “teoria da verdade”.
A verdade é um qualificativo que podemos dar a determinados enunciados.
Os lógicos e epistemólogos dizem que podemos ser correspondentistas e dizer que um enunciado X é verdadeiro se e somente se ele...
tracking img