Pragas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1491 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 22 de janeiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
PRAGAS ASSOCIADAS ÀS PLANTAS CULTIVADAS NA MICRO REGIÃO DO ALTO RIO SOLIMÕES NO ESTADO DO AMAZONAS

Neliton Marques da Silva
Agno Nonato Serrão Acioli
Elson Gomes de Souza
Geraldo Vasconcelos
Márcia Reis Pena

INTRODUÇÃO

A microrregião do alto Rio Solimões se destaca pela elevada agrobiodiversidade resultante de um processo histórico de uso e ocupação do solo pelas populaçõesindígenas, resultando levando na domesticação e adaptação de plantas para fins, sobretudo, alimentares.
Porém, a maioria desses cultivos tem problemas fitossanitários, que se manifestam com a ocorrência de ácaros, insetos-pragas e agentes fitopatogênicos como: nematóides, fungos, bactérias e virus. Tratam-se de organismos que coevoluiram com suas respectivas plantas hospedeiras, assumindo padrõessofisticados de adaptação ecológica.
A incidência recorrente dessas pragas compromete todo um esforço de produção agrícola exercido pelos produtores familiares em suas áreas de cultivo e nos quintais agroflorestais, em bases sustentáveis.
Fatores microclimáticos, genéticos, ambientais, edáficos e formas de cultivo contribuem para que esses organismos venham a assumir o status de praga.O reconhecimento, a descrição e alternativas de controle das principais pragas e doenças das plantas cultivadas nessa região é, portanto, fundamental para o estabelecimento das bases de um planejamento estratégico ancorado no manejo integrado desses agentes deletérios.
Neste capítulo é abordada as principais pragas e patógenos vegetais associados aos cultivos alimentares conduzidosna microrregião do Alto Rio Solimões. Em relação aos artrópodes pragas (insetos e ácaros) e aos patógenos vegetais serão destacados aspectos relacionados a: biologia, taxonomia, morfologia, patogenicidade, tipo e caracterização de danos, aspectos epidemiológicos e medidas de controle compatíveis com o tipo de agricultura praticada na região.






PRAGAS DA BANANEIRA (Musa spp.)Originária do sudoeste da Ásia, pertence à família Musaceae e ao gênero Musa, com cerca de 80 espécies e dezenas de variedades (Joly, 2002). A banana constitui num dos principais componentes da dieta alimentar das populações humanas que habitam a microrregião do Alto Rio Solimões. Na cultura alimentar do povo Ticuna (etnia majoritária na região) a freqüência de uso dessa frutíferaultrapassa em mais de 50% das espécies vegetais utilizadas na culinária local (Noda et al, 2008). As variedades mais plantadas são: Prata, Maçã, Pacovan, Peruana, Seda e Sapo. É consumida de diversas formas, desde “in natura”, cozida, frita, na forma de doces, passas, mingau e suco (conhecido como pororoca). A folha é muito utilizada para cobrir o peixe e assá-lo na brasa. É também utilizada para colocarpequenas porções de comida cozida (conhecida como fanny ou pupeca) e também servem para forrar os paneiros onde são comercializados a farinha de mandioca.
A cultura da banana, nessa microrregião, é conduzida sob três sistemas de plantio: monocultivo, consorciado/policultura e silvi-agrícola. O monocultivo é praticado em sítios ou propriedades agrícolas de produtores rurais não-tradicionais,normalmente em terra firme. Os cultivos em consórcio e silvi-agrícola são cultivados em comunidades tradicionais ou comunidades indígenas. Nos cultivos em consórcios ou policulturas, quando a banana é a principal cultura, são encontradas várias frutíferas além de mandioca, milho, cana-de-açúcar e abacaxi; este sistema é praticado principalmente em terra firme. O silvi-agrícola é praticado,principalmente, em várzeas ou terras baixas (margens de igarapés), juntamente com milho, feijão-de-vagem, mamão, cacau e mandioca, além de espécies florestais como seringueira, mulateiro, ucuuba, taxi e tacana.
Independentemente das formas de cultivo, essa frutífera é danificada por algumas pragas. Dentre essas a de maior expressão econômica é a Broca Gigante-da-Bananeira; Telchin licus (Drury,...
tracking img