Pragas e doenças da bananeira

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4260 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
PRAGAS E DOENÇAS DA BANANEIRA

Broca-do-Rizoma ou Moleque-da-Bananeira (Cosmopolites sordidus (Germar))

Praga mais severa devido aos danos causados e de sua ampla distribuição geográfica. Seu nome comum, broca-da-bananeira, tem sua origem devido à construção de galerias no interior do rizoma por sua larva. O principal meio de propagação é através de mudas infestadas.Inseto da família Curculionidae, a qual tem como característica um prolongamento anterior, em cuja extremidade estão inseridas as peças bucais mastigadoras. Curculionídeo de coloração preta, com aproximadamente 11mm de comprimento e 5mm de largura. Os adultos, os quais podem viver de alguns meses a dois anos, são ativos à noite, todavia, podem ser encontrados durante o dia em ambientes úmidos esombreados junto às touceiras, bainhas foliares e restos culturais. Ademais, insetos sem alimentação podem sobreviver por vários meses.
As plantas tornam-se debilitadas e mais sensíveis ao tombamento, sendo estes seus danos diretos. Ademais, as galerias no rizoma favorecem a penetração de patógenos nas áreas atacadas, resultando em podridões e morte da planta. Sendo que, os principais sintomassão o desenvolvimento limitado, amarelecimento e secamento das folhas, ausência de frutificação e, em plantas jovens, morte da gema apical
O controle do moleque-da-bananeira se dá com o uso de mudas livres de infestação, aplicação de inseticida granulado diretamente na cova de plantio, escolha por variedades mais resistentes, uso de iscas tendo como base a atração exercida porsubstâncias voláteis presentes no pseudocaule e rizoma sobre os adultos, controle biológico (uso de nematóides das famílias Steinernematidae e Heterorhabditidae para infectar larvas; uso de fungos da família Beauveria bassiana, os quais atuam sobre os adultos que morrem poucos dias após a infecção, tratamento químico de mudas, aplicação de inseticidas diretamente na cova de plantio e cobertura.Pulgões/Afídeos

Apesar de a colonização da planta ser realizada somente pelo pulgão da bananeira, Pentalonia nigronervosa Coq., outras espécies como Aphis gossypii Glover e Myzus persicae (Sulzer) também serão citadas devido à sua importância como transmissoras da virose conhecida como mosaico-da-bananeira (CMV).
Os pulgões ao realizarem a picada de prova tornam-se agentes transmissoresde vírus, caso tenha picado alguma planta infectada, sendo que a contaminação ocorre na parte anterior do intestino do inseto. Os bananais são atacados na fase vegetativa, ou seja, antes do florescimento.
Os danos diretos causados pelo pulgão Pentalonia nigronervosa Coq. estão relacionados à sucção de seiva, por adultos e ninfas, das bainhas foliares externas (próximo ao nível do solo),causando clorose das plantas e deformação das folhas. Em altos níveis populacionais, podem ser encontrados no ápice do pseudocaule, provocando o enrugamento da folha terminal. Sua excreção (honey-drew) favorece o desenvolvimento de fungos saprófitos.
Já os pulgões Aphis gossypii Glover e Myzus persicae (Sulzer) agem somente como transmissores do mosaico-da-bananeira e o bunchy top. Comomedida de controle deve-se eliminar as plantas doentes, realizar a manutenção de mudas livre de vírus e controle de plantas daninhas.

Tripes

Diversos são as espécies de tripes, sendo que cada doença tem sua espécie caracterísitca.
Tripes da erupção dos frutos (Frankliniella spp.) são caracterizados pela postura de ovos, individualmente, na epiderme da casca de frutosjovens com menos de duas semanas de idades.
Thrips exilicornis Hood e Thrips florum Schmutz estão freqüentemente relacionados com o sintoma de encortiçamento nos frutos de banana. Provocam o manchamento da epiderme de bananas (corky scab), o que desvaloriza drasticamente o valor comercial do fruto, com diminuição do lucro. A epiderme torna-se marrom-acinzentada a avermelhada e áspera,...
tracking img