Possibilidades e limites da teoria do serviço social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1683 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 10 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Pró-reitora de Graduação de Serviço Social


Simone Alves de Souza

Fundamentos Históricos Teóricos metodológicos de Serviço Social.

Goiânia, 2013
Simone Alves de Souza



Possibilidades e Limites daTeoria do Serviço Social.
Fichamento apresentado á disciplina do curso de Serviço
Social, da faculdade Pontifícia Universidade Católica
de Goiás, para obtenção de nota parcial de N2.

Goiânia,2013
ALMEIDA, Anna Augusta. Possibilidades e Limites da teoria do Serviço Social. Rio de Janeiro, 1986.


A expressão intervenção social é de uso relativamente recente no Serviço Social. Desde o movimento de reconceptualizaçao, este termo tem sido pensado como a própria teoria do Serviço Social. A sua motivação principal foi a de caracterizar um tipo detransformação, provoca pela teoria de Serviço Social construída numa perspectiva dialética. De certa forma, o que é entendido por intervenção social difere em acepções ao ser definido por diferentes autores. (P.23)

Convém recordar que a visão fenomenológica, ao introduzir a visão existencial no trabalho social, proporcionou uma abordagem que veio assegurar um quadro teórico de referenciasignificativa mais adequada e apropriado á aplicação dos insights psicanalíticos á teoria psicossocial.
Deste ponto de vista, a realidade social, da qual as pessoas emergem como individualidade irredutíveis e na qual realizam a sua experiência de vida, reflete os sinais das ações e interações significativas ocorridas nelas.(P.24)

O Serviço Social é interpretação e discussãocrítica dessa realidade onde atua, por meio de “intervenções”, como grupo significativo dessa própria realidade e, enquanto constituído por ela, como instrumento capaz de permitir “desenvolvimento social”. Como corolário da intervenção, o assistente social provocará o desenvolvimento de uma consciência teórica de modo a assegurar participação e/ ou criação de novos mecanismos de cooperação mútua.A intervenção do Serviço Social, assim desenhada, não se refere a situação de exceção, residuais, mas ás compreendidas com probabilidades possíveis, uma vez que ela está frequentemente presente nos processos sociais comprometidos com o projeto humano. A partir do momento em que nos propomos a intervir, sabemos que estamos questionando uma problemática significativa para uma pessoa,grupo ou comunidade. Pois o assistente social objetiva o que a clientela escolhe, corta ou recorta. Ao objetiva-la, estamos colocando-a como realidade descontínua num contínuo (contexto), que apenas serve de pano de fundo. (P.25).
Historicamente, sabemos que a teoria do Serviço Social foi pensada a partir de situações onde tinham sido bloqueada, suprimidas ou enfraquecidas asparticipações de grupos humanos, como membros da comunidade a que pertenciam. Hoje, dentro de uma outra realidade sócio-cultural, admitimos a existência de uma rede de compromissos que a comunidade mantém com diferentes profissões, das quais espera resposta para as exigências articuladas dentro da perspectiva de um planejamento global. Neste sentido, no nível dos compromissos, passou a existir umaresponsabilidade social com a comunidade pelas respostas oferecidas, como soluções adequadas, ás necessidades, em face da programação de um desenvolvimento integral.
Fato que nos leva a considerar que o estudo da relação específica de qualquer programa de Serviço Social com os demais, num planejamento global, necessariamente deve levar em consideração que a especificidade dessa...
tracking img