Pos Moderno

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1373 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de março de 2015
Ler documento completo
Amostra do texto
O livro "Mundo pós-moderno'' propõe uma reflexão, relatando como as mudanças culturais e sociais fizeram com que o mundo alcançasse o panorama atual, o pós-modernismo. Mostra como o relativismo, o avanço da tecnologia, a moda, os gêneros musicais e a violência se desenvolveram e qual a sua influência nos dias de hoje.
Modos e modas de nosso tempo: Nesse capitulo, primeiramente, fica claro aimportância da moda para expressar a ideologia dos usuários da década de 60. A forma de se vestir e se comportar imediatamente possibilitava que fosse identificado a corrente de pensamento que aquele individuo seguia.Ter cabelos grandes, usar jeans e camisetas faziam com que os usuários simbolizassem uma mentalidade mais aberta. Os autores trabalharam com uma digressão, um pequeno retrospecto,mostrando como tudo isso era notado na sociedade e como foi se desenvolvendo, marcando a industria da música (sexo, drogas e rock'n'roll)  e a banalização do sexo. Mostra, por exemplo, como a minissaia naquela época, foi capaz de escandalizar o mundo, e também como ela tinha um papel mais profundo do que ser apenas uma roupa curta feita para exibir as pernas das mulheres e sim um simbolo de liberaçãocontra uma moral hipócrita. O capitulo mostra como a crise de ideologias invadiu a área da moda, e explicita que não foi a moda que criou o debate ideológico.

No período pós-moderno a moda perdeu seu valor contestatorio, justamente pelas mudanças ideológicas e pela atuação das tecnologias que canalizaram o espirito rebelde jovem. Tornou-se fugaz, efêmera e superficial, mostrando a relatividade e atransitoriedade que são traços marcantes da atual realidade. Tudo se tornou componente de uma informação meramente visual, a aparência se tornou algo importante até demais, não se preocupam mais com o verdadeiro ser e sim em vender tal imagem, mesmo que ela seja falsa.

Quando o video game captura a vida: No mundo contemporâneo grande parte dos jovens tem acesso aos videos-games e as novastecnologias em geral. Tecnologia essa que é capaz de prender o ser humano por horas na frente de uma tela, capturando toda sua atenção e suas energias, fazendo com que ele não dê prioridade ao seus estudos, trabalho, vida social e apenas fique preso naquela realidade virtual. O autor mostra como o avanço dessa tecnologia e o chamado cyberspare pode ser benéfico a sociedade, trazendo a integração depessoas que possuem deficiência intelectual e dando uma capacidade de avanço enorme para educação, mas também mostra como pode ser maléfica, fazendo com que usuários viciados não tenham mais a capacidade de discernimento do que é fantasioso e do que é real, trocar as duas realidades e se afastar do convívio social. Nesse capítulo, é relatado também como os videos games podem ser incentivadores para aviolência e para o pensamento neonazistas, e como é complexa a discussão desse assunto. A conclusão que é encontrada se resume em, como é algo novo, o melhor a se fazer é acompanhar cuidadosamente todo esse avanço, tentar conciliar os avanços  para o bem da humanidade, mas não se esquecendo da relação humana com tudo ao seu redor, a cultura, os outros homens, as máquinas, etc.

A sociedade dastribos: A formação das chamadas tribos talvez seja um dos traços mais importantes do período vivido, chamado pós-modernismo. Essas tribos, desiludidas com as ideólogias que não alcançaram nenhum resultado eficaz e com a política que se mostrou incapaz de atingir  a conquista da felicidade com seus ideiais de socialismo e capitalismo no modernismo, buscam por si propria alcançar os seus objetivos, semligações com a política atual e com padroes gerais da sociedade. Essas tribos por não se encaixarem nos padrões sociais pré estabelecidos tentam atingir suas metas com as armas possíveis, seja pela violência, pelo comportamente exôtico ou pelo meio que seu lider exiga. No capítulo trabalhado é usado como exemplo os neonazistas, as futegangues, os cyberpunks e a geração x.

A música que não é...
tracking img