Portugues

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (723 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 21 de abril de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
As Palavras
Literatura Portuguesa

Índice
Introdução

3

Análise Formal do Poema

4

Tema e Desenvolvimento de Tema 5
Conclusão

6

Bibliografia 7

Introdução

As PalavrasLiteratura Portuguesa
Neste trabalho vamos debruçar-nos sobre o estudo de um poema de um
autor do séc. XX, Eugénio de Andrade. O poema estudado, “Palavras”, é um
dos mais carismáticos deste autorcontemporâneo e aborda o tema da
reflexão sobre o valor polissémico das palavras.

Análise Formal
São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.

As Palavras
LiteraturaPortuguesa
Outras,
orvalho apenas.
Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.
Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
Emesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.
Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?

O poema é constituído por quatro estrofes, duas quintilhas eduas
quadras. A maioria dos versos são soltos/brancos havendo apenas uma rima
que é cruzada, pobre e consoante. Divide-se o poema em duas partes: a
primeira que se ocupa das três primeiras estrofes ea segunda que se ocupa
da última; uma divisão lógica pois na primeira parte o “eu” poético limita-se
a descrever as palavras e na segunda e última o “eu” interroga os leitores
acerca das palavrastambém. Quanto à forma icónica o poema revela-se
irregular.
São usadas algumas figuras de estilo como a comparação - “São
como um cristal, as palavras.” ; metáfora – “Secretas vêm, cheias dememória. Inseguras navegam (…).”, “Tecidas são de luz”, “ (…) são noite.”;
antítese – “Tecidas são de luz e são noite.”; enumeração – “(…) cruéis,
desfeitas (…).”, “Desamparadas, inocente, leves (…)”;interrogações
retóricas – Quem as escuta? Quem as recolhe (…) nas suas conchas
puras?”.

Tema e Desenvolvimento do Tema

As Palavras
Literatura Portuguesa
Este texto de Eugénio debruça-se,...
tracking img