Português e o novo acordo ortográfico

Em 12 de outubro de 1990, a Academia Brasileira de Letras, Academia das Ciências de Lisboa e delegações de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé ePríncipe, aprovaram em Lisboa um projeto de ortografia unificada da Língua Portuguesa.

O novo acordo entrou em vigor em 1º de janeiro de 2009. Visa a unidade dalíngua, o aumento de seu prestígio social e a redução, ou até mesmo a extinção das barreiras encontradas pelos países e falantes lusófonos quando, por exemplo,tentam difundir suas conquistas, reflexões e conteúdos, pois as diferenças ortográficas atrapalham a circulação de tais obras.

Vejamos o conteúdo de algumas propostas:- Trema: o trema deixa de existir, com exceção de palavras de nomes próprios estrangeiros. Exemplo: mülleriano, de Müller.

- Acentuação: o acento dos ditongosorais abertos “éi” e “ói” desaparece nas palavras paroxítonas. O acento se mantém caso se trate de oxítonas. Exemplo: herói, heroico.

- H inicial: emprega-se porforça da etimologia e em virtude da adoção convencional.
Exemplos: homem, humor, hã?, hum!
Mantém-se numa palavra composta ligada a um elemento anterior por meiodo hífen.
Exemplo: pré-história, anti-higiênico.
Em Portugual, o "h" inicial será suprimido, apesar da etimologia, quando sua ausência já está consagrada pelo uso,como em erva (herva) e úmido (húmido).
Suprime-se em composição por aglutinação: desarmonia, inábil, reabilitar.

As modificações propostas, segundoespecialistas, devem alterar 0,45% do vocabulário do Brasil, em Portugal a mudança prevista é de 1,6%.

Por Marina Cabral
Especialista em Língua Portuguesa e Literatura
tracking img