Por que ler os clássicos?

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (542 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Ítalo Calvino (1993), de uma forma clara e compreensiva responde com quatorze respostas satisfatórias a questão: “Por que ler os clássicos”? Nos passa sua experiência e instrui quanto a ter uma visãoparticular da idéia de clássico, bem como procura convencer os leitores de ler livros de caráter universal. As definições estão fundadas em torno do argumento do autor, como a capacidade de um leitorna idade adulta atribuir ao ato de ler um sabor especial, por conta da sua própria bagagem vivencial. Na maturidade o livro pode ser melhor compreendido, além de despertar descobertas novas e muitassurpresas. Mesmo o tendo lido na adolescência, o leitor terá a sensação de como se estivesse lendo a primeira vez, claro, a diferença é que o amadurecimento traz todo um histórico que serve comosuporte para direcionarmos a leitura, depreender as idéias, interpretar e até dialogar com o autor segundo Calvino.
Ele defende o uso de textos originais, pois mesmo que se leiam obras que falam dooriginal, não terão a precisão que este tem quando nos fala. Os clássicos quando de fato lidos, nos revelam uma imensa riqueza de informações que nos surpreendem quando comparados com as informações quetínhamos a seu respeito, resultando assim num elo que liga o clássico ao leitor.
Para o autor os clássicos podem influenciar na vida das pessoas quando dizem muito da realidade que vivem ou direcionama realidade com base nos propósitos do livro. Assim como podemos estreitar nossa relação com um clássico, podemos também nos encontrar em contraste, o que pode nos atrair pelo questionamento, criticaetc.
A leitura dos clássicos pode ser feita a luz da realidade, o que torna possível analisar a relação da leitura com o cotidiano a que pertencemos, muitas vezes diferente do que está proposto noclássico. Os verdadeiros clássicos nos fazem aprecia-los mesmo sendo incompatíveis com a nossa realidade.
O autor sugere que tenhamos uma biblioteca com livros que já lemos e livros ainda por ler...
tracking img