Por de trás das cortinas, novos olhares: a utilização do teatro do oprimido no fazer profissional do serviço social

Páginas: 25 (6131 palavras) Publicado: 20 de abril de 2011
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO.................................................................................................................9

CAPÍTULO I – O OPRIMIDO EM FOCO: UMA NOVA DESCOBERTA................14

CAPÍTULO II - NOVOS ATORES FRENTE AOS
DESDOBRAMENTOS SOCIAIS.................................................................................. 21

2.1 - UM NOVO OLHAR PARA OSERVIÇO SOCIAL.............................................25

CONCLUSÃO.................................................................................................................29

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS............................................................................31ANEXOS.........................................................................................................................32

INTRODUÇÃO

O teatro sempre me acompanhou desde a infância e adolescência, sempre estava levantando o dedo para participar nas peças do colégio. Ainda não sabia as técnicas, mas adorava o universo teatral. No primeiro grau escolar participava da sala de recursos, onde a Professora Sueli Vieira acreditava no meu potencial e desenvolveu atividades artísticas atravésde pinturas, desenhos, música, poesia e teatro.
Como falei do ensino fundamental resumidamente, assim contarei minha trajetória no Ensino Médio, conheci o Professor de teatro Nilson Falcão e assim conheci algumas técnicas e autores teatrais. Ensaiamos Romeu e Julieta de Shakespeare, onde Nilson fez uma paródia nos diálogos. A partir deste momento comecei a empenhar-me mais nos exercíciosteatrais e nos ensaios.
Minha motivação pelo teatro aumentava, mas infelizmente não continuei no grupo, comecei a dedicar-me para o vestibular. Confesso que estava confusa e com medo das provas para ingressar na universidade pública. Dediquei-me no curso pré-vestibular, mas não sabia o queria fazer, teatro ou jornalismo. Quando chegou a hora de optar pelo curso de graduação foi algo conflitante. Acabeinão fazendo nenhum dos dois, e escolhi Serviço Social, pois minha tia que admiro muito não conseguiu concluir seu curso por motivos pessoais, e contou-me que o sonho dela é que eu me formasse, já que cuidou de mim como se fosse sua filha segui seu conselho.
Comecei a faculdade de Serviço Social, na verdade sem conhecer o que era o curso, li na página do manual do vestibular, que sucintamenteexplicava o que se tratava a profissão. Passei os quatro semestres odiando o curso, a parte teórica me afligia e na verdade queria exercer a profissão.
No primeiro ano de faculdade pensei em mudar de curso e algumas amigas me encorajaram a continuar, uma delas, a Natalia, pessoa que passou o maior tempo ao meu lado. Ela me motivou e fizemos todas as eletivas junta, ela não sabe, mas quero dedicarmeu trabalho aos momentos em que passamos, as idéias e os seus conselhos. Fizemos disciplinas eletivas ligadas ao curso de cinema (Vídeo Documentário Educativo), comunicação (Oficina de música), história (Diversidade Cultural) e na parte esportiva (Musculação e alongamento).
Com todas as disciplinas concluídas, ainda sentia um vazio, o meu sonho sempre foi teatro ou jornalismo, e assim quecomeçou o estágio lutei contra esta vontade. Descobri que amo atender o público e perceber as questões sociais que o cercavam. Admito que fiquei frágil neste período, chorava com a dor das pessoas e não sabia como lidar com isso que estava aumentando. Até que fui convidada no meu primeiro estágio da Associação Fluminense de Reabilitação (AFR) pela Assistente Social Mayra para participar do Grupo deAmputados, grupo de pessoas que sofreram acidentes ou alguma doença que tivesse que retirar o membro superior ou o inferior. Essas pessoas foram algumas das peças do quebra cabeça que estava faltando na minha vida.
Empenhei-me em levar assuntos para, em trinta minutos e uma vez na semana trabalharmos em cima da temática que eles gostariam de conversar. As lágrimas eram de alegria em ver que...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Um novo olhar sobre a pesquisa no serviço social
  • Idoso um novo olhar social
  • Serviço Social e Violência Doméstica
  • ASSESSORIA E CONSULTORIA: UM NOVO ESPAÇO DE ATUAÇÃO PARA OS PROFISSIONAIS DO SERVIÇO SOCIAL
  • Etica profissional no serviço social
  • Ética profissional no serviço social
  • Praticas profissionais no serviço social
  • Ética profissional e serviço social

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!