Politraumatismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 28 (6872 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Atendimento ao politrauma na unidade intra-hospitalar
[pic]
|Introdução |02|
|Politraumatizado |03|
|Tipos de Traumatismos |05|
|Abordagem Sistematizada |15|
|Avaliações e interveções |16|
|Primárias | |
|Avaliações e intervenções |20|
|Secundárias | |

|Os efeitossistêmicos do |23|
|trauma | |


Os cuidados prestados ao paciente, de qualquer patologia, são diretamente atribuídos a profissionais de enfermagem, seja eles enfermeiros, técnicos ou auxiliares de enfermagem. No atendimento ao politraumatizado o enfermeiro deve usufruir conhecimentos técnicocientíficos para que o trajeto terapêutico, juntamente com uma conduta ideal a essepaciente chegue ao resultado esperado. Os acidentes de vária ordem, são uma realidade cotidiana que levam aos Serviços de Urgência grande número de vítimas, em estado mais ou menos grave e, são causa de morte ou de incapacidades de um elevado número de indivíduos. As consequências imediatas de um acidente podem reflectir-se a vários níveis corporais, isoladamente ou em associação, pelo que osprofissionais devem estar preparados para agir adequadamente em cada situação, oferecendo serviços de qualidade que diminuam o risco de morte e previnam ao máximo as incapacidades residuais. A sua ação deve ser orientada segundo prioridades de acordo com o grau de gravidade dos problemas, seguindo uma abordagem/avaliação sequenciada e pormenorizada. O presente trabalho pretende resumir os principaistraumatismos, destacando-se para cada um deles os mecanismos de lesão, classificação e avaliação.
Politraumatizado
O politrauma é uma síndrome decorrente de lesões múltiplas, com reações sistêmicas seqüenciais que podem levar à falha ou a disfunção de órgãos ou sistemas vitais não diretamente lesados pelo trauma. Epidemiologicamente, o trauma representa, atualmente, a terceira causa de morteMundial. Segundo as estatísticas, em um dia médio, 170.0 homens, mulheres e crianças sofrem traumatismos, e aproximadamente 400 morrem com resultado de suas lesões. Lesão acidental é o maior assassino de pessoas entre as idades de 1 a 4 anos. A vítima do trauma é considerada parcialmente grave, pois seu estado poderá se deteriorar rapidamente atingindo várias partes do organismo e colocando oindivíduo em risco de vida. Dessa forma a gravidade da lesão são determinadas pelos traumas que podem ser menores, quando atinge um único sistema, ou maiores, quando as lesões são graves e atinge múltiplos sistemas. O avanço tecnológico traz com ele os acidentes de trânsito, tornando-os muitos freqüentes em nosso meio, o que eleva o índice das lesões traumáticas podendo levar o indivíduo à inatividade.Apesar dos grandes esforços das equipes responsáveis pelo atendimento ao politraumatizado, as taxas de morbidade e mortalidade ainda são assustadoras. Um dos exemplos é apontado no estudo feito por Sgarbi, Silva Jr e Neto (2006), no qual relatam que “[...] pacientes vítimas de traumatismos cranianos ou do tórax, com fraturas da bacia ou com associação de traumas ortopédicos graves, representam umapopulação com alta incidência de óbito”. Nos politraumatismos referem que a mortalidade é classificada em três níveis subseqüentes: imediata, precoce e tardia. No índice de imediata, as mortes são relativas às que acontecem logo após o acidente devido a lesões cerebrais graves, traumatismos cervicais e lesões em grandes vasos ou coração. A taxa de mortalidade precoce refere às mortes ocorridasdentro de duas horas após o trauma, causadas por traumatismos cranioencefálico, torácico, abdominal e hemorragia; nesse tempo, os pacientes ainda apresentam grandes chances de recuperação quando atendidos adequadamente. E as estatísticas de mortalidade tardia relacionam à ocorrência de septicemia e falência múltiplas dos órgãos, podendo também estar ligada ao traumatismo cranioencefálico. Apesar...
tracking img