Politicas sociais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1654 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]
nome do curso
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO







A Intervenção do Assistente Social com a criança e adolescente.








































A Intervenção do Assistente Social com a criança e adolescente


















Trabalho apresentado ao Curso de Serviço Socialda UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina de Direito e Legislação Social,Planejamento Social, Políticas Sociais II, Trabalho Profissional I.
Orientador: Professores:













2012



A Intervenção do Assistente Social com a criança e adolescente.







Introdução:

Este trabalho tem oobjetivo de mostrar as normas e prepuções da constituição federal de 1988, pois apartir dela adquirimos vários direitos dentre eles está o reconhecimento a criança e o adolescente. A constituição Federal de 1988 é também conhecida por constituição cidadã, algumas regencias que a mesma redime no direito intercalador do poder judiciário brasileiro, e o papel do assistente social, enquantoprofissional interventor nos designos dos direitos da criança e do adolescente. O serviço social é uma area ampla de extenção, envoltiva na construção de desenvolvimento “humanitario”, direcionado ao cidadão numa prova de desfrute, com vida digna, nos direitos proposto pela lei contituinte a ter assistencia na saude, educação, moradia, alimentação, cultura, lazer... os mesmos que estão instaurados nosartigos da referida constituição.

Lembrando que a norma maior (CF/88), já tem vinte anos de existencia no poder judiciário brasileiro, designando soberania, dignidade e cidadania da pessoa humana, três principais pontos, ancorados varias vezes nos artigos e incisos da constituição, tambem considerados em maior ponto de referencia de suma importancia no cotidiano do individuo.E como qualquer outro usuário a criança e o adolescente passou a ter seus direitos garantidos por essa constituição, lembrando que foi criado o estatuto da criança e adolescente para garantir a cidadania, atenção e o bem está da criança e do adolescente.












Desenvolvimento:



A temática criança e adolescente adquire uma nova conotaçãono Brasil a partir da década de 80, quando começa a ser referenciada com outra visão, pois, historicamente, a concepção de infância e adolescência construída foi a de indivíduos que necessitam do tutelamento ou do assistencialismo do Estado através de políticas públicas. A nova visão refere-se a uma nova conotação que a política da Criança e do Adolescente ganhou após o surgimento do Estatuto daCriança e do Adolescente, quando esta área começa a ser referenciada como direitos sociais.
Somente a partir da metade do século XX, é que começa a se falar, no âmbito internacional, na concepção de criança visando à garantia de seus direitos. A ideia que passa a existir da criança é de um indivíduo inteiro, não mais como propriedade de uma pessoa. No âmbito internacional, foiproclamada em 20 de novembro de 1959, pela Assembleia Geral das Nações Unidas, a Declaração dos Direitos da Criança, um dos primeiros documentos a tratar da questão específica da criança e do adolescente. Essa Declaração foi transformada em 1989 em Convenção Internacional dos Direitos da
Criança.
No Brasil, o primeiro Código de Menores surgiu em 1927, como legislação complementar aoCódigo Civil Brasileiro e o segundo Código data de 1979. Após a aprovação do primeiro Código, foram criados e regulamentados pelo poder judiciário, o juizado de menores e todas as instituições.
A Constituição Federal é a norma mais importante do sistema jurídico brasileiro, nela estão contidas diretrizes e regras que representam o exercício democrático de toda a sociedade. No caso do...
tracking img