Politicas sociais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1619 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]






















































































SUMÁRIO


1 INTRODUÇÃO..........................................................................................................4

2DESENVOLVIMENTO..............................................................................................5

O avanço das políticas sociais com o advento da Constituição de 1988.....................5

3 CONCLUSÃO...........................................................................................................8

4 REFERÊNCIAS.........................................................................................................9





INTRODUÇÃOO objetivo deste trabalho é o de analisar as mudanças nas políticas sociais com o advento da Constituição Federal de 1988, em especial as políticas de saúde e assistência social.
A partir dos estudos realizados, verificamos que a trajetória das políticas sociais é marcada por muitas histórias. Uma das suas principais marcas foi a promulgação da Constituição Federal de 1988,conhecida e reconhecida mundialmente como constituição cidadã, que instituiu o tripé da seguridade social formado pela saúde, previdência e assistência social, num explícito reconhecimento do dever do Estado expressando o desejo, organização e mobilização da sociedade manifestado por meio de seus movimentos sociais organizados.
Portanto, é com esse embasamento técnico, queanalisaremos o processo de mudança nas políticas sociais de saúde e assistência social, utilizando como referência o processo de elaboração e aprovação da Constituição Federal de 1988. Ou seja, como eram estas políticas antes da C. F. e o que mudou com a sua aprovação.























o avanço das politicas sociais com o advento da constituição de 1988


Osurgimento da política social foi acontecendo de forma gradual e diferenciada entre os diversos países; tendo sua origem no capitalismo, destina-se, prioritariamente, à classe trabalhadora, na luta pelos seus direitos.
Historicamente, as mobilizações da sociedade civil receberam diferentes tratamentos. No período anterior a 1930, os movimentos sociais eram tratados como “caso depolícia”, com forte repressão.
No contexto do capitalismo, a política social baseava-se na manutenção da “ordem social”, tendo como função reintegrar os indivíduos (desviados sociais) à sociedade. Foi entendida como estratégia de intervenção do governo nas relações sociais originadas no mundo da produção, ou seja, foi relacionada a um processo de mediação, como estratégia estatal entreinteresses conflitivos.
No período de 1930 a 1988 tivemos grandes mudanças na política social. De 1930 a 1964, a luta dos trabalhadores garantiu que o Estado ampliasse a política social e criasse um aparato jurídico-formal de defesa dos direitos sociais. Nesse período a questão social passou a ser tratada como caso de política.
Entretanto, no período ditatorial pós-1964, apolítica social foi transformada em mecanismo de transferência de recursos dos trabalhadores para o capital privado lucrativo via FGTS, PIS/PASEP, unificação do sistema de previdência social; se fortalece a dimensão ideológica, ao sustentar, dentre outros aspectos, que os programas habitacionais realizados com recursos dos trabalhadores propiciariam o acesso à compra da casa própria dos mesmos; noâmbito salarial, tem-se uma profunda redução dos salários dos trabalhadores que, sem estabilidade no emprego e sem direito de greve, além de outras medidas repressivas da ditadura militar, não têm como lutar pela recomposição salarial.
Devemos frisar, ainda, que se manteve a política assistencialista dos governos anteriores, com a qual a necessidade de proteção social de parcelas...
tracking img