Politica

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 24 (5891 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 7 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Contratualismo
Esta teoria, por sua vez, distancia-se do elemento natural e explica a sociedade por um acordo de vontades, celebrado entre os membros que decidem viver em sociedade
Os motivos pelos quais seria firmado esse acordo de vontades são diferentes de autor para autor, contudo, todos são unânimes em dizer que não seria por um impulso natural que o homem acabaria por formar a sociedadeO pensador Platão, no século de IV a. C. afirmou que a sociedade decorria de um acordo racional, longe da esfera natural e instintiva. Depois dele, outros como Thomas Moore (século XVI), Tomásio Campanella, no mesmo período, escreveram sobre o teoria contratualista.
Um dos autores mais expressivos da teoria contratualista é Thomas Hobbes, que escreveu a obra "O leviatã", publicada em 1651Explica Hobbes que há um estado pré- sociedade, em que o homem vive em seu estado de natureza, possuindo características como o egoísmo, maldade, crueldade, agressividade, que ocasionam constantes guerras.

Mas diante desse quadro, a vontade e a racionalidade humana atuam no sentido de firmar um pacto social, para controlar o estado de natureza, dando espaço para o
estado social
A busca da pazse torna o principal objetivo dos homens, e em nome desta, os homens deverão respeitar limites para que todos possam conviver pacificamente.

O homem não poderá ser mais senhor de todas as coisas como no seu estado de natureza, pois será obrigado a respeitar os limites atribuídos, que se destinam a uma boa convivência

Mas deve-se ressaltar que para a manutenção dessa nova ordem, há de existirum poder maior, que force e controle o estado de natureza do homem.

Esse poder será concretizado no Estado, que terá a prerrogativa de controlar e impor limites, mediante castigos e penalidades. E assim, o homem obedecerá por temor de sofrer as penalidades

O Estado, que surge para garantir a vida social, será, para Hobbes, a única maneira de se conseguir viver em sociedade.

Dessa forma,afirma que, mesmo que um Estado possua leis injustas, esse equívoco não justificaria a desobediência dos homens ao Estado.

Nesse sentido, pode-se dizer que o poder do Estado é soberano. A pessoa natural que esteja em posse desse poder é denominado soberano, e os súditos seriam aquelas pessoas sobre quem esse poder é exercido

Vale acrescentar que as idéias de Hobbes induziam ao absolutismo,que pode ser explicado como um sistema de governo em que o poder do soberano é absoluto, incontestado e ilimitado.

Mas essas idéias absolutistas começaram a ser contrariadas a partir do final do século XVII, com o pensador Jonh Locke

Locke não acreditava no estado de natureza de Hobbes, em que o homem era ruim, perverso e vivia em constante guerra.

Para ele os homens, em seu estado denatureza, possuíam intrinsecamente a razão, e dessa forma, viviam pacificamente cada qual com a sua propriedade.

O conceito de propriedade, para aquele pensador, era natural, ou seja anterior à qualquer manifestação social

Dessa forma, acreditava Locke que nenhum Estado poderia suprimir a propriedade, por ser, esse direito, anterior ao próprio fenômeno estatal.

Montesquieu, tambémcontratualista, também acreditava num estado pré- sociedade em que o homem também era bom.

Pensava que o homem tinha em si uma fragilidade associada a uma sensação de inferioridade em relação aos demais, e, por isso, vivia em paz, sem atacar seus semelhantes

Mas no momento que decidem viver em sociedade, sentem-se fortes e iguais, e nesse momento inicia o estado de guerra.

Montesquieu, então, afirmaque nenhuma sociedade sobreviverá sem um governo, que possua leis que controlem a vida social, e a obra deste autor "Do espírito das leis", expressa uma análise sobre as leis do governo

Rousseau, outro autor contratualista, por sua vez, também contrário a Hobbes, afirma que o homem é essencialmente bom, e convive em estado de plena paz, retirando da natureza todo o seu sustento.

Contudo,...
tracking img