Poliomelite e Rotavírus

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas: 13 (3166 palavras)
  • Download(s): 0
  • Publicado: 19 de setembro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto



UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS
CENTRO DE CIENCIAS DA SAUDE
ENFERMAGEM





JENIFFER DA SILVA SOARES
MARINA CASEIRO ALVES
THATIANE DA SILVA FERNANDES












VaCINAS









SANTOS
2013


POLIOMIELITE

É uma doença aguda,causada por um vírus, de gravidade extremamente variável e, que pode ocorrer sob a forma de infecção inaparente ou apresentar manifestações clínicas, freqüentemente caracterizadas por febre, mal-estar, cefaléia, distúrbios gastrointestinais e rigidez de nuca, acompanhadas ou não de paralisias.
1.1 Agente etiólogico
E um vírus composto de cadeia simples de RNA, sem envoltório, esférico, de 24-30 nm dediâmetro, do gênero Enterovírus, da família Picornaviridae. Ao gênero Enterovírus pertencem os grupos: Coxsakie (A com 24 sorotipos e B com 6 sorotipos), Echo (34 sorotipos) e Poliovírus (3 sorotipos).
Os três sorotipos do poliovírus, I, II e III, provocam paralisia, sendo que o tipo I é o isolado com maior frequência nos casos com paralisia, seguido do tipo III. O sorotipo II apresenta maiorimunogenicidade, seguido pelos sorotipos I e III. A imunidade é específica para cada sorotipo.
Possui alta infectividade, ou seja, a capacidade de se alojar e multiplicar no hospedeiro é de 100%; possui baixa patogenidade 0,1 a 2,0% dos infectados desenvolvem a forma paralítica (1:50 a 1:1000), ou seja, tem baixa capacidade de induzir doença.
1.2 Modo de transmissão
Pode ser direta de pessoa apessoa, através secreções nasofaríngeas de pessoas infectadas, 1 a 2 semanas após a infecção; ou de forma indireta através de objetos, alimentos, água etc, contaminados com fezes de doentes ou portadores, 1 a 6 semanas após a infecção.
Pode-se demonstrar a presença do poliovírus nas secreções faríngeas e nas fezes, respectivamente 36 e 72 horas após a infecção, tanto nos casos clínicos quanto nasformas assintomáticas. O vírus persiste na garganta durante uma semana aproximadamente e, nas fezes, por 3 a 6 semanas.

1.3 Diagnóstico
Durante a anamnese e exame físico devem ser observados os sinais e sintomas como febre, alterações gastrintestinais, rigidez de nuca, reflexos tendinosos que podem estar inicialmente hiperativos, e em seguida rapidamente abolidos, com sensibilidadepreservadaparesias ou paralisias assimétricas de instalação rápida, multifocal ou "salpicada", acometendo alguns grupos de músculos, com predileção pelos membros inferiores.
Exames laboratoriais.
1.4 Tratamento
Cuidados gerais como repouso rigoroso nos primeiros dias, reduz a taxa de paralisias. Mudança de decúbito, tratamento sintomático da dor, da febre, da hipertensão arterial e de retenção urinária,uso de laxantes suaves e cuidados respiratórios são importantes para se evitar complicações. Cuidados ortopédicos e fisioterápicos devem ser instituídos oportunamente para evitar deformidades. A fisioterapia deve ser iniciada quando a dor ceder.
1.5 Epidemiologia
Distribuição universal, prevalente em áreas urbanas mas também acomete áreas rurais. Tem como publico alvo crianças menores de 5 anosde idade. Na região da América do Sul não ha casos da doença desde 1991. Atualmente o poliovirus se restringe as regiões da Ásia, África central e Ocidental.
1.6 Erradicação no Brasil
Em 1980, foi criado o Dia Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, com a realização de duas campanhas anuais para crianças menores de 5 anos.
Em 1994, o Brasil obteve o certificado internacional de erradicaçãoda transmissão autóctone do vírus (quando ocorre dentro do território nacional). Além da imunização de crianças, o plano prevê a vacinação de adultos, principalmente de mulheres em idade fértil e de idosos a partir de 60 anos de idade. 
Além desses grupos da população, uma ação especial é realizada para viajantes. O território brasileiro tem 11 unidades da federação que fazem fronteira com dez...
tracking img