poligamia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1710 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de junho de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO


Conheceremos em rápida passagem a evolução da ética, seus princípios, valores. Os pensamentos nas quais foram atribuídos para a ética, em diferentes épocas, desde o período pré-socrático até a modernidade. Buscaremos um conceito de ética, na qual há muitas divergências, que ainda mesmo deixam lacunas. Cabe imprescindivelmente a distinção da ética e da moral, tendo base a mesmatradução, porém a primeira ciência e outra a normatização em face da coletividade. Empregar as normas éticas nem sempre é uma tarefa fácil, saber quando e onde aplicar, como em um ordenamento jurídico, haverá sempre a ética na norma? E sua aplicação? É o que veremos, diga que de passagem, porém procurando dirimir as dúvidas, e não ocorrer trocas de conceitos. Portanto ética é uma ciência, que é umamoral compostas de princípios: costume, modo de agir, entre outros que veremos.

A ética para Aristóteles era finalista, no sentido de visar a um fim, no caso que ser humano pudesse alcançar a felicidade. Entendia a moral como um conjunto de qualidades que definia a forma de viver e de conviver das pessoas, uma espécie de segunda natureza que guiaria o ser humano para a felicidade, consideradaa aspiração da vida humana.
Na Idade Média ocorreram grandes mudanças, o cristianismo tornou-se a religião predominante e oficial que influenciou grandemente na prática moral. A ética cristã estabelecia relação entre Deus e o homem. A ética cristã tinha o poder regulador sobre as pessoas, tendo em vista um mundo futuro, baseado nas regras de Deus.
Na Idade Moderna a burguesia se expandiufazendo com que a igreja católica perdesse a hegemonia. Nessa época o homem era considerado o centro de tudo, tratando de um período antropocêntrico, o homem detinha o poder do conhecimento.




A POLIGAMIA


Poligamia, do grego muitos matrimónios, é a união reprodutiva entre mais de dois indivíduos de uma espécie. No reino animal, a poligamia se refere à relação onde os animais mantém mais deum vínculo sexual no período de reprodução. Nos humanos, a poligamia é o casamento entre mais de duas pessoas. Os casos mais típicos são a poligamia, em que um homem é casado com várias mulheres, e a poliandria, em que uma mulher vive casada com vários homens. Não deve confundir-se com o amantismo, que é também comum nas sociedades humanas, mas em que o laço com um parceiro sexual para além docasamento não é, nem aceite pela lei, nem na maior parte das vezes, de conhecimento público.

A Poligamia esteve sempre presente no Mundo, em todas as épocas e nações. É um facto histórico que Gregos, Romanos, Hindús, Babilónios, Persas, Israelitas, Árabes, Africanos, etc., etc., não conheciam limites no número de matrimónios e, portanto, podiam casar com várias mulheres. Não era imposta nenhumacondição ou restrição. As esposas de um pai falecido eram divididas pelos filhos, juntamente com outra propriedade herdada, na Arábia, antes do advento do Profeta Muhammad (que a paz estja com ele), sendo usadas como esposas. O Islão limitou esta poligamia ilimitada, então em voga no mundo, restrigindo-a com as seguintes severas limitações:

A atitude do marido para com todas as suas quatroesposas (limite máximo) deve ser tal que não dê aso ao ódio, ciúme, insatisfação, descontentamento e frustração a nenhuma delas, resultante da injustiça, crueldade, inclinação e parcialidade por parte do esposo. A completa paz, harmonia e tranquilidade devem prevalecer no lar como resultado de um estatuto inteiramente igual de todas as esposas, em todos os assuntos, ou seja, na alimentação, vestuário,moradia, cuidados médicos, estima, conforto, tratamento geral, afecto, etc. Se o esposo não puder pôr em prática esta igualdade, não lhe é permitido casar-se com mais de uma mulher.
A este respeito, o Sagrado Alcorão diz claramente: "E se receais que não podereis tratar com justiça os órfãos casai com as mulheres que vos parecerem boas para vós duas, três ou quatro. E se receais que não...