Política, livro i de aristóteles

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (772 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de junho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
RESUMO

ARISTÓTELES. A política. Brasília: UnB, 1985, p. 13-34.

O Livro I de A Política de Aristóteles, tratando da introdução geral, onde aborda a questão da natureza da cidade e os seuselementos e inicia a obra tratando a respeito da cidade e de seus elementos constitutivos, onde mostra as formas diferentes de autoridade existentes na sociedade da época. A respeito da cidade, o autor dizque “... é como uma associação, e que qualquer associação é formada tendo em vista algum bem, pois o homem luta apenas pelo que ele considera um bem.” (p. 13) Isso resulta que se todas as associaçõesobjetivam um certo bem, ou lucro, é na cidade ou sociedade política que isso se encontrará.
Sobre os elementos constitutivos da cidade, o autor mostra sua visão hierárquica da sociedade, “algunsseres, quando nascem, estão destinados a obedecer; outros a mandar” (p. 19), onde a pólis deveria levar em consideração a natureza de cada ser, a divisão que a natureza impõe. “Aquele que a si mesmo nãopertence,porém pertence a outro, e, contudo, é um homem, esse é naturalmente escravo.” (p. 19). O autor define as pessoas pelas funções sociais, onde a mulher e o escravo possuem valor inferior nasociedade; a mulher seria a procriadora e o escravo o trabalhador. Aliás, sua visão da mulher não era das melhores. Na reprodução, a mulher é passiva e recebe, enquanto o homem é ativo e semeia. Dessaforma as características seriam predominantemente do pai. “O homem livre manda no escravo de modo diverso daquele do marino na mulher, do pai no filho. Os elementos da alma estão em cada um desses seres,porém em graus diversos. O escravo é inteiramente destituído da faculdade de querer, a mulher possui-a, porém fraca; a do filho não é completa.” (p. 34)
Sobre a propriedade e a conquista de bens,“... a natureza não realiza nada em vão e sem objetivos, é evidente que ela deve tê-lo feito para o bem da espécie humana,” (p. 26) “...a arte da guerra é (...) um meio natural de conquista...” (p....
tracking img