Platão defesa de socrates.

Páginas: 6 (1307 palavras) Publicado: 18 de março de 2011
[pic]

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

CENTRO DE EDUCAÇÃO – CEDUC

CURSO DE PEDAGOGIA

COMPONENTE CURRICULAR: ÉTICA E EDUCAÇÃO

PROFESSOR: FRANCISCO DE ASSIS

ALUNA: MYTHIA WILLIANE FERREIRA FREITAS

PLATÃO

DEFESA DE SÓCRATES

CAMPINA GRANDE

2010

PLATÃO: DEFESA DE SÓCRATES

A obra compõe-se de um preâmbulo e três partes. Na primeira, está a defesa de Sócratesonde consta o diálogo com Meleto, na segunda, a pena e o esperado da pena, e na terceira parte, após a condenação e aos que votaram contra, onde Sócrates faz uma reflexão sobre as suas convicções de vida e morte, e a relação com os deuses. 
O julgamento de Sócrates se passa em 399 a. C., em que ele afirma que a única sabedoria que possui é a consciência da própria ignorância. Acusado deimpiedade e de corrupção da juventude por Meleto, Ânito e Lícon, o velho educador e filósofo de 70 anos fez um apelo vigoroso à absolvição. O tribunal, composto por 501 cidadãos por votação, consideram Sócrates culpado por maioria de votos 281 contra 220, e condenaram-no à morte. Após um curto período de prisão, Sócrates morre depois de ter bebido a cicuta. De acordo com a tradição, Platão, discípulode Sócrates e seu maior admirador, estava doente e não pôde assistir ao julgamento, mas as provas apresentadas no texto indicam que ele teria estado presente.
Sócrates explica o seu estilo de discursar. A isto segue-se uma lista de acusações específicas, com referência à sua vida e atividades quotidianas. Depois de relatar a defesa de Sócrates, Platão relata as tentativas do mestre para queseja diminuída a pena que lhe é imposta. Finalmente, Sócrates faz uma censura profética aos juízes por supor que eles vão viver sem problemas de consciência depois de pronunciarem a sentença de morte.
Na declaração de abertura, Sócrates explica o estilo coloquial que utilizará na sua defesa. Os acusadores tinham avisado os cidadãos para estarem prevenidos, se não quisessem ser enganadospela oratória de Sócrates quando ele tentasse provar a sua inocência. Sócrates insiste que não é um orador nem um retórico. Em vez disso, está acostumado a vestir a verdade com linguagem comum, de modo a que todos possam seguir o seu raciocínio. Na sua defesa, Sócrates responde a dois tipos de acusações: a primeira, mais antiga, mais generalizadora, e a Segunda, a acusação do momento, feita pelostrês acusadores no tribunal. Teme mais a primeira acusação do que a Segunda, porque não pode enfrentar os acusadores quando refuta simples rumores e insinuações. As queixas contra a sua conduta foram-se acumulando ao longo dos anos, é tido como um criminoso e metediço, que perscruta o que se passa debaixo da terra e dentro do céu, torna a causa má e ensina a fazerem como ele.
  Sócrates declaraque as acusações são falsas. Para se defender cita a comédia As Nuvens, de Aristófanes, em que uma personagem chamada Sócrates insinua que pode andar pelo ar. Este cenário tolo, por mais inocente que fossem as intenções, contribui para a sua má reputação. Outro rumor insinua que investiga matérias sobrenaturais, tanto acima como abaixo da terra. Assegura à assistência que nunca se interessoupelas ciências práticas, e embora admire os físicos e se recuse a considerá-los maldosos no seu trabalho, Sócrates insiste que as suas maiores preocupações são a conduta moral e a felicidade da alma.
 Depois disto a defesa de Sócrates vai concentrar-se nas acusações específicas do seu principal acusador, Meleto. Interroga Meleto sobre a acusação de que ele, Sócrates, é um demónio, um corruptorda juventude, um ateu que procura criar os seus própros deuses. Devido à amabilidade de Sócrates no interrogatório, Meleto tropeça nas próprias palavras. Torna-se evidente para os membros do tribunal que Meleto não tinha pensado bem nas acusações que fez nem nas suas possíveis ramificações. Quanto ao ateísmo, Meleto volta a confundir-se nas alegações, parecendo acusar Sócrates de ser ateu como...
Ler documento completo

Por favor, assinar para o acesso.

Estes textos também podem ser interessantes

  • Defesa de Sócrates
  • Platao e socrates
  • Sócrates e Platão
  • Sócrates e Platão
  • Platão e Sócrates
  • Sócrates e Platão
  • Sócrates e Platão
  • Platão e Socrates

Seja um membro do Trabalhos Feitos

CADASTRE-SE AGORA!