Plantas fibrosas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1249 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 9 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic] |
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”
Departamento de Produção Vegetal | |

LPV O515 – PLANTAS FIBROSAS

Melhoramento genético e características de cultivares do algodoeiro


[pic]

Alunos:
Luís Ricardo Bérgamo
Luiz Fernando
Mark Spakken

Piracicaba-SP
Abril/ 2007







1) INTRODUÇÃO


O algodoeiro (Gossypium hirsutum L.) pertence à família Malvaceae, sendo cultivado, no Brasil, em três macroregiões, a Norte–Nordeste (Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Bahia),  a Centro–Oeste (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás) e a Sul–Sudeste (São Paulo, Paraná e Minas Gerais). Em todaselas encontram-se diferentes sistemas de produção, desde pequenas glebas, de agricultura familiar, até culturas empresariais, de alto nível tecnológico.
A planta do algodoeiro possui metabolismo C3, com alta taxa de fotorrespiração. Por ser uma planta de crescimento indeterminado, ocorre competição por fotoassimilados entre as partes reprodutivas e vegetativas. Essas características, além deoutras, fazem do algodoeiro uma planta de elevada complexidade morfológica e fisiológica.


2) Características agronômicas e tecnológicas desejáveis no melhoramento genético de uma cultivar (para o Brasil)

O melhoramento genético do algodoeiro deve ter duas condições básicas:
a) A necessidade de que as cultivares a serem obtidas atendam equilibradamente às demandas dos setores que fazem parteda cadeia produtiva. São eles: o cotonicultor, que almeja alta produtividade na lavoura e a adequação das cultivares ao seu sistema de produção; o beneficiador, que deseja alto rendimento de algodão em pluma (alta porcentagem de fibra), no beneficiamento; e a indústria têxtil, que exige alta qualidade intrínseca da fibra.
b) A existência de fortes obstáculos para que tais demandas sejam atendidasem níveis elevados e, concomitantemente em todos os setores envolvidos (cotonicultor, beneficiador e indústria têxtil), como as correlações de natureza genética e altamente negativas, pois pressões de seleção para a obtenção de determinada característica podem implicar em perdas de outras propriedades ou a impossibilidade de que sejam incorporadas, em níveis adequados, às cultivares obtidas oumelhoradas.
As características agronômicas e tecnológicas desejáveis no melhoramento genético do algodoeiro, respectivamente, são as seguintes:
a) Ter resistência às principais doenças, como a murcha de Fusarium e de Verticillium, nematóides, ramulose, ramulária, mancha angular, mosaico das nervuras e murchamento avermelhado;
b) Ser tolerante às doenças secundárias, como a murcha deAlternaria, Stemphylium e Cercospora;
c) Apresentar certa tolerância ao ataque de pragas;
d) Tipos modernos de plantas (compactas, de ciclo médio / precoce e mais determinado, sem excesso de galhos e folhagem, com retenção adequada da fibranos capulhos e resistentes ao acamamento);
e) Plantas com moderada exigência nutricional, porém responsivas ao aumento de adubações eoutras melhorias ambientais;
f) Alta produtividade;
g) Arquitetura favorável à mecanização e ao plantio adensado;
h) Estabilidade produtiva ao longo dos anos;
i) Ter folhas pequenas, com área menor do que 80 cm2 para as folhas frutíferas e menor do que 180 cm2 para as folhas vegetativas, com forte movimento diaeliotrópico, para aumentar a eficiência fotossintética e reduzir a incidência depragas e doenças;
j) Ter frutos pequenos, com capulhos pesando entre 5,0 a 6,5 g;
l) Rendimento de fibras superior a 40%;
m) Resistência de fibras superior a 28 g/tex;
n) Finura na faixa de 3,9 a 4,2 (micronaire)
o) Fibras de comprimento médio;


Na tabela seguinte tem-se as cultivares lançadas pelo Instituto Agronômico de Campinas, com seus respectivos objetivos....
tracking img