Planos economicos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2160 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE PAULISTA
















ECONOMIA E MERCADO
Planos Econômicos





























SOROCABA
2012

UNIVERSIDADE PAULISTA



-









ECONOMIA E MERCADO
Planos Econômicos









Trabalho apresentado como exigência parcial para obtenção de nota da UNIP –Universidade Paulista na disciplina de: Economia e Mercado com orientação da Prof.ª Renata São Leandro.












SOROCABA
2012






ECONOMIA E MERCADO
Planos Econômicos










Trabalho apresentado como exigência parcial para obtenção de nota da UNIP – Universidade Paulista na disciplina de: Economia e Mercado com orientação daProf.ª Renata São Leandro.










Aprovado em:


________________________________________/____/____
Profa. Renata São Leandro.
Universidade Paulista – UNIP

Sumário



1 INTRODUÇÃO



































































Plano Cruzado

O plano cruzado foi um conjuntode medidas econômicas, lançado pelo governo brasileiro em 28 de Fevereiro de 1986, durante o governo de José Sarney, com Dílson Funaro como ministro da fazenda entre outros economistas como Edmar Bacha, Pérsios Arida e Lara Resende.
O objetivo principal do plano foi conter a inflação e para isso foram adotadas varias medidas: Substituição da moeda do Brasil de cruzeiro para cruzado, congelamentode preço de bens e serviços, junto com o congelamento dos salários, foi introduzido um gatilho salarial que estabelecia um reajuste imediato sempre que a taxa de inflação da economia atingisse 20%, houve ainda um amento de 15% para o salario mínimo.
Os primeiros dias do cruzado pareciam a concretização de todos os sonhos ao mesmo tempo, a inflação desapareceu em um passe de magica, saláriossubiram, os juros caíram, e então uma torrente de consumidores começou a esvaziar as prateleiras do supermercado; Um erro foi ter se esquecido de trazer os preços a prazo de 30,60,90 dias ao seu valor presente a vista , em vez de congelamento ocorreu um aumento de 17% , 34% , produtos vendidos com 30 dias tiveram um aumento real de 17%, a inflação media da época embutida nos preços, produtos comobrinquedos que tinham 180 dias de prazo, tiveram aumento de 256%, este erro na própria regra de congelamento desorganizou os preços relativos da economia, paralisou a produção por um mês e criou a famosa briga pelo “deflator” , onde fornecedores e clientes discutiam novos preços reais.
O plano então começou a fracassar exatamente devido ao desequilíbrio dos preços relativos a economia, por nãoequalizarem o valor presente dos preços, muitos produtos que corrigiam seus preços entre 1 a 15 dos mês, ficaram com o preço tabelado abaixo da rentabilidade desejada ou até mesmo do custo de produção, algo que ou inviabilizava a venda dos produtos para o consumo, ou levava uma queda na sua qualidade, saíram beneficiados, as empresas que reajustaram seus preços nos dias anteriores do plano.
Como ocongelamento não permitiu o ajuste dos preços á sazonalidade houve um desequilíbrio de preços, e como resultado veio o desabastecimento de bens e o surgimento de ágio para a compra de produtos escassos, principalmente os que se encontravam na entressafra (carne e leite) e de mercados oligopolizados (automóveis).
Além desses fatores, alguns economistas apontam o abono concedido ao salario mínimo(aumento real de 16%), e ao funcionalismo publico (abono de 8%) como responsável por um aumento de consumo algo que pressionou ainda mais a demanda, impedida de ser contrabalanceada por um amento de preços.
Outros fatores que levaram ao fracasso do plano, a falta de medidas econômicas por parte do governo para controlar os gastos públicos, o congelamento de taxa de câmbio, algo que levou o país a...
tracking img