Plano para empresa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 29 (7213 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A CARREIRA DO ADMINISTRADOR EM ORGANIZAÇÕES DO TERCEIRO SETOR*



David Alberto Beker Jordan**







I. Introdução

A emergência dos movimentos de ajuda mútua em escala mundial demonstra que as pessoas estão preocupadas umas com as outras cada vez mais: aqueles que têm mais estão ajudando aqueles que têm menos.

A maior parte das organizações sem fins lucrativos existe paraprover a população de serviços básicos, tais como saúde, educação, dentre outros. Algumas organizações, além de proverem serviços, estão voltadas para a promoção da cidadania e para a luta por determinados direitos. Como exemplos, cabe mencionar as fundações, instituições e organizações sem fins lucrativos voltadas para a ação na comunidade.

Este ensaio procura mostrar como o administrador podeencontrar espaços de atuação dentro do universo do chamado Terceiro Setor. Na primeira parte do trabalho, procura-se tratar de questões teóricas relativas ao conceito de Terceiro Setor. A seguir, trata-se das oportunidades de carreira no setor. Em seguida, fala-se sobre os salários no Terceiro Setor. Por fim, é apresentada uma conclusão para o trabalho.


II. Sobre o Terceiro Setor

O primeirosetor é o Estado e o segundo, a iniciativa privada. Pode-se destacar que o crescimento das organizações sem fins lucrativos é grande devido ao fato de o Estado não conseguir atender todos na provisão dos serviços sociais, sendo que o número de indivíduos que precisam de ajuda também cresce sem parar.

Nas organizações sem fins lucrativos, o objetivo principal não é o lucro financeiro, mas sim aprovisão dos melhores serviços possíveis com os recursos disponíveis.

Para que se possa fazer um estudo sobre a possibilidade de carreira para o administrador em entidades sem fins lucrativos, é preciso que antes se conheça um pouco mais sobre esse tipo de entidade, ou seja, sobre o Terceiro Setor.

Existe uma série de organizações que não podem ser classificadas como pertencentes ao Estado nemao mercado. Levando-se em conta esse fato, nota-se que, “para além do Estado e do mercado” (Landim, 1993), existem novas realidades que estão surgindo para suprir a carência do Estado em proporcionar à população um mínimo de bem-estar social. Essas novas realidades fazem parte de um Terceiro Setor não-lucrativo e não-governamental, que depende de doações de pessoas, empresas ou de ajuda dogoverno para poder existir.

Devido à novidade do tema, não há muitos estudos sobre o assunto e constata-se que este ainda tem muito a ser explorado nos mais diversos âmbitos. Pode-se dizer que esses fatores dificultaram um pouco a obtenção de dados e de material, mas é de se esperar que a produção bibliográfica na área aumente com os anos devido à grande importância desse setor para a sociedade.Alguns dos principais autores que trabalharam na questão cujas idéias serão abordadas nesta introdução foram: Peter Drucker, Rubem César Fernandes, Leilah Landim, Jeremy Rifkin e Lester Salamon.

Jeremy Rifkin, no seu livro “O Fim dos Empregos”, afirma: “O Terceiro Setor, também conhecido como setor independente ou voluntário, é o domínio no qual padrões de referência dão lugar a relaçõescomunitárias, em que doar do próprio tempo a outros toma o lugar de relações de mercado impostas artificialmente, baseadas em vender-se a si mesmo ou seus serviços a outros” (p. 263). Rifkin, portanto, relaciona o Terceiro Setor a qualquer atividade comunitária voluntária. Ele chama a atenção para a possibilidade de trabalho no Terceiro Setor e para as relações sociais a ele associadas. Segundo Rifkin, oprogresso tecnológico, a comunicação e a informação fazem com que a necessidade de mão-de-obra pelas empresas tenda a diminuir. Paralelo a essa situação, ele constata que os governos têm-se tornado mais fracos e incompetentes, sendo que a contratação de mão-de-obra está ficando cada vez menor, ou seja, eles estão deixando de ter a função de contratantes de última instância. Para ele, a...
tracking img