Plano de cuidados

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 40 (9988 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
FACULDADE DE ILHÉUS – CESUPI

PLANOS DE CUIDADOS DE ENFERMAGEM E MEDICAÇÕES

ILHÉUS – BAHIA
2011

PLANOS DE CUIDADOS DE ENFERMAGEM E MEDICAÇÕES

ILHÉUS – BAHIA
2011
Planos de Cuidados de Enfermagem

OBSTIPAÇÃO

➢ Avaliar fatores associados como períodos de diarréia, dor abdominal, distensão abdominal, estresse, mudança no nível de atividade, assimcomo história familiar e pessoal como, distúrbios metabólicos, hipotireoidismo e hipercalcemia;
➢ Registrar a coloração, o odor, a consistência, a quantidade e a freqüência das evacuações;
➢ Aumentar ingesta hídrica, favorecendo o amolecimento das fezes;
➢ Estimular alimentos com conteúdos moderados de fibras, grãos integrais, frutas e vegetais para promover a formação de fezesmacio/úmidas e facilitar a eliminação do material fecal através do reto;
➢ Administrar enemas, conforme prescrição, documentando o tipo, volume e resultados;
➢ Avaliar e documentar a presença ou ausência de distensão abdominal, pois o alívio da distensão indica sucesso do alivio;
➢ Administrar laxativo de massa e emolientes fecais, conforme prescrição médica;
➢ Incentivar a realizaçãode exercício a fim de relaxar os músculos abdominais e perineais para estimular o peristaltismo;
➢ Auscultar o abdômen para determinar a presença, a localização e as características dos ruídos peristálticos, que refletem a atividade intestinal, sempre que necessário;
➢ Evitar enemas ou laxativos antes da coleta de amostras de fezes para exames de diagnóstico.

HIPERTERMIA

➢Administrar reposição de líquido e eletrólitos para manter o volume circulante, a perfusão dos tecidos e evitar/tratar a desidratação;
➢ Facilitar o resfriamento superficial com medidas como a remoção das roupas, banhos de compressa ou imersão em água fria;
➢ Aplicar compressa morna, principalmente nas virilhas e axilas, para promover a vasodilatação e conseqüente evaporação do calor (nuncafria devido ao risco de vasoconstricção súbita);
➢ Monitorar a temperatura corporal com mais frequência, para avaliar a eficácia das intervenções;
➢ Monitorar e registrar a freqüência e o ritmo cardíacos, a pressão arterial, a freqüência respiratória, pois em quadro de hipertermia, leva a aceleração da frequência cardíaca, redução da pressão arterial podendo indicar hipovolemia e arespiração se intensifica;
➢ Avaliar a resposta neurológica, atentando para o nível de consciência e a orientação, a reação aos estímulos, a resposta das pupilas e a presença de posturas atípicas e convulsões;
➢ Administrar antipiréticos por via oral/ retal, conforme prescrição;
➢ Manter repouso no leito para reduzir as demandas metabólicas/consumo de oxigênio;
➢ Orientar, auxiliare supervisionar banho com água morna;
➢ Observar diurese (quantidade, aspecto e cor).

ÚLCERA POR PRESSÃO

➢ Providenciar cuidados meticulosos e um bom posicionamento para pacientes imobilizados, para evitar a pressão, atrito e umidade no leito;
➢ Avaliar o estágio da úlcera (I, II, III e IV), presença de infecção, endurecimento e necrose;
➢ Inspecionar sempre que possível apele, lubrificar-la com uma loção (ex. óleo de girassol) mantendo macia e maleável sempre que necessário;
➢ Evitar colchões mal ventilados cobertos com plástico ou material impermeável;
➢ Empregar programas intestinais e vesicais para prevenir a incontinência;
➢ Incentivar a deambulação e exercício, para melhorar o suprimento sanguíneo na área afetada;
➢ Ensinar sobre aimportância da boa nutrição (proteína, vitaminas e ferro) corrigindo deficiências alimentares (promover cicatrização), se necessário;
➢ Evitar a elevação da cabeceira do leito a mais de 30º, caso localize na região sacral (menor tração na área sacrococcígea), se nos MMII (principalmente calcâneos) devem-se elevar os membros para facilitar o retorno venoso;
➢ Reposicionar o paciente a cada 2...
tracking img