Plano bresser

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1259 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
1.0. INTRODUÇÃO
O objetivo desse trabalho é apresentar de forma simples uma parte da nossa história, no que diz respeito à condução de nossa política monetária ao longo do período que vai de 1987 a 1988 com o afamado “Plano Bresser. Serão abordados os principais objetivos, como foi sua implantação, suas características, bem como os motivos que provocaram o fracasso do Plano. Planoesse,que tenta na forma de decreto, substituir o então fracassado Plano Cruzado mas se mostra ineficaz tanto quanto o plano que o deu lugar, não dando conta de estabilizar a inflação em nosso país, e cedendo lugar posteriormente ao “Plano Verão”. Luiz Carlos Bresser foi professor da Fundação Getúlio Vargas, onde ensinou economia, teoria política e teoria social. Tendo como maiores influênciasintelectuais vindas de Marx, Weber e do estruturalismo latino-americano. Em 1987 em meio a crise provocada pelo fracasso do Plano Cruzado, Bresser tornou-se Ministro da Fazenda e propôs soluções para a crise da dívida em 1980, dando início ao Plano Bresser, o qual foi caracterizado como plano emergencial tendo como objetivo principal deter a aceleração inflacionária, evitar a hiperinflação ereduzir a déficit público. Os resultados iniciais do Plano Bresser foram animadores e satisfatórios,apesar das medidas adotadas pelo Ministro, o plano não conseguiu contar com o apoio popular, e perdeu de vez toda e qualquer credibilidade que ainda tinha. Nos meses seguintes, a inflação acelerou , o que fez retornar para o estado anterior, ocorrendo o fracasso do Plano Bresser.2.0. PLANO BRESSER
Em abril de 1987, o país estava com a inflação em alta, na mais profunda crise financeira e econômica devido ao fracasso do Plano Cruzado, surgiu à necessidade de um novo plano. Assim Luiz Carlos Bresser assumiu o Ministério da Fazenda do Governo José Sarney, com a missão de controlar ainflação herdada do plano anterior que estava em 23,21%. Em junho de 1987, foi anunciado o novo plano de estabilização ou emergencial o “Plano Bresser”, não tendo como objetivo a inflação zero, nem eliminar a indexação (sistema de reajuste de preços que permite corrigir o valor real dos salários e aluguéis e demais preços da economia, reajustando-os com base na inflação passada.) Mas seuobjetivo era deter aceleração inflacionária e evitar a hiperinflação, onde o juro poderia ser reduzido sem afetar a inflação (choque deflacionário), para isso era necessário diminuir o déficit público que já representava uma parte considerável do PIB, pois nesta época o governo gastava mais do que arrecadava em impostos. Uma das armas do ministro foi manter as taxas de juros elevadas parainibir o consumo de bens duráveis, o congelamento de preços e a desvalorização cambial, mas o que seria uma solução momentânea não resolveria os problemas em longo prazo. O Plano Bresser era considerado um plano emergencial ao contrário do Cruzado e algumas medidas emergenciais foram apresentadas.

3.0. PRINCIPAIS MEDIDAS DO PLANO BRESSER
• Congelamento de salários por três meses, nonível de 12 de junho, com o resíduo inflacionário sendo pago em seis parcelas a partir de setembro;
• Congelamento de preços por três meses, sendo que vários preços, em especial os públicos, foram aumentando antes do plano;
• Mudança da base do índice de preços ao consumidor (IPC) para 15 de junho, sendo que os aumentos foram incorporados à inflação de junho de modo a evitar que se sobrecarregasse ainflação de julho;
• Desvalorização cambial de 9,5% em 12 de junho e não congelamento da taxa de câmbio, mas com desvalorizações suaves, e com menor ritmo;
• Congelamento do preço de aluguéis de junho sem nenhuma compensação;
• Os contratos financeiros pós-fixados foram mantidos e para os pré-fixados introduziu-se uma tabela com desvalorização de 15% a.m;
• Criação da Unidade Referencial...
tracking img