Planejamento área de linguagem2013

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 41 (10223 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
PROJETO ANUAL DE LINGUAGEM





ATITUDE SOCIAL E POLÍTICA
NO AMBIENTE ESCOLAR E COMUNITÁRIO



Projeto apresentado à Direção da Escola Estadual Dr. Leônidas Antero de Matos para o desenvolvimento de atividades pelos alunos do Ensino Regular e da Educação de Jovens e Adultos na Área de Linguagens para o ano de 2013.



Elaboradores: Edna MarquesSoares, Francisco Tiburcio, Jorge Luiz Torquato da Silva, Rosely Aparecida Ramos Bezerra, Rosineiri A. Oliveira Martins, Ruth Sousa Dourado e Suzan Mara da Costa Corrêa.


Cuiabá-MT
2013


1. TEMA GERAL – Atitude Social e Política no Ambiente Escolar e Comunitário.

1. SUBTEMA GERAL
1º Semestre – Ensino Regular – Relacionamento saudável no ambiente escolar
1º Semestre –Educação de Jovens e Adultos (EJA) – Atitudes reflexivas e formativas do estudante com vistas à sua futura carreira profissional.


2º Semestre – Ensino Regular – Ambiente escolar e comunitário saudável – Ações estudantis, por meio de visitações, que visem à transformação social-política.
2º Semestre – Educação de Jovens e Adultos (EJA) – Ações estudantis, por meio de oficinas, quevisem garantir seu espaço no mercado de trabalho.










2. INTRODUÇÃO


Educar é um ato que visa à convivência social, à cidadania e à tomada de consciência política. A educação escolar, além de ensinar o conhecimento científico, deve assumir a incumbência de preparar as pessoas para o exercício da cidadania.
A cidadania é, assim, entendida como o acessoaos bens materiais e culturais produzidos pela sociedade, e ainda significa o exercício pleno dos direitos e deveres previstos pela Constituição da República.
Nesse sentido, a educação para a cidadania pretende fazer de cada pessoa um agente de transformação social e política. Isso exige uma reflexão que possibilite compreender as raízes históricas da situação em que vive boa parte dapopulação.
Desse modo, a formação política, que tem no universo escolar um espaço privilegiado, deve propor caminhos para transformar a mentalidade e a conduta dos cidadãos em relação à garantia de seus direitos e prerrogativas, e, claro, orientá-los sobre como cumprir seus deveres para que haja harmonia de seus interesses e aqueles impostos pelo poder estatal.
Necessário,para tanto, que o cidadão receba, durante sua freqüência aos bancos escolares, o conhecimento técnico-científico, aliado ao conhecimento humano e religioso, todos, diga-se, aliados às ações práticas efetivamente voltadas à sua condução ao mercado profissional, e, claro, à construção e reconstrução de seu ambiente familiar e social.




3. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA


O senso comumcompreende competência como a capacidade de realizar alguma coisa, de ser bom naquilo que se faz.
Segundo Aurélio, competência é  ''1. Substantivo feminino. [...]. 2. Qualidade de quem é capaz de apreciar e resolver certo assunto, fazer determinada coisa; capacidade, habilidade, aptidão, idoneidade." 
Com a publicação do artigo “Testing for Competence rather thanIntelligence”, McClelland iniciou o debate sobre competência entre psicólogos e administradores nos Estados Unidos. Segundo ele, “A competência é uma característica subjacente a uma pessoa que pode ser relacionada com desempenho superior na realização de uma tarefa ou em determinada situação”. 
Sérgio Magalhães fala que a “Competência é o conjunto de conhecimentos, habilidades e experiênciasque credenciam um profissional a exercer uma determinada função”.
No âmbito das organizações e do mundo do trabalho, alguns autores também definiram o termo:
• Rocha, citando Chiavenato, define competências como as características das pessoas que dão a sustentação de vantagens competitivas, relacionadas ao trabalho gerencial e profissional, elas ajudam na organização e no objetivo...
tracking img