Pip iniciar

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1601 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 2 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic] Oficina de Arte























DESENHO E MONTAGEM DE EXPOSIÇÕES
Formação Inicial
Paulo Jorge Carvalho Silveira Pereira
|0 |INDÍCE |
| | |
| |DIAGNÓSTICO|PÁG. 03 |
| |JUSTIFICAÇÃO |PÁG. 04 |
| |ÁREA TEMÁTICA |PÁG. 04 |
| |MODALIDADES |PÁG. 04 |
||PÚBLICOS-ALVO |PÁG. 04 |
| |OBJECTIVOS GERAIS DO CURSO |PÁG. 04 |
| |CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS |PÁG. 04 |
| |SELECÇÃO DOS PARTICIPANTES |PÁG. 06|
| |CONDIÇÕES DE REALIZAÇÃO |PÁG. 06 |
| |CONDIÇÕES DE REALIZAÇÃO |PÁG. 06 |
| |DURAÇÃO DO CURSO/ HORÁRIO |PÁG. 06 |
| |INSCRIÇÕES/ MODALIDADE DE PAGAMENTO|PÁG. 06 |
| |FORMADOR / CURRICULUM |PÁG. 06 |
| |CONTACTOS |PÁG. 07 |
| |ANEXOS |PÁG. 07 |

|1 |DIAGNÓSTICO|
| |NECESSIDADES DA FORMAÇÃO |



“… a arte é na realidade feita pelo público, essa relação do objecto com o espaço, através da exposição, é o que lhe dá overdadeiro sentido plástico…”
Marcel Duchamp




No actual panorama da gestão da cultura e das artes, as exposições assumem um papel importante tanto no campo da divulgação como da fruição.


Num contexto em que as exposições assumem papéis tão específicos como a formação de públicos e a valorização, cada vez mais evidente, da obraartística e do conhecimento, sente-se a necessidade de formar uma nova geração de profissionais que analisem, interpretem e implementem exposições recorrendo às novas linguagens, aos novos materiais e aos novos meios de divulgação e informação.


Os futuros Desenhadores de Exposições devem não só possuir competências no campo do saber-fazer mas também do saber-saber. A análise crítica doobjecto a expor e do espaço destinado ao programa expositivo devem passar a ser pontos a considerar no processo global do Design de Exposições. A exposição não deve nem poder ser vista no futuro como um simples processo, quase decorativo, de arrumar de forma mais ou menos coerente, objectos de arte e do conhecimento.


Actualmente, a Exposição adquire, também ela, um carácter de obra dearte face ao cunho pessoal e interpretativo que comissários e curadores colocam na construção de linguagens e formas de interpretar os objectos trazem ao desenhador, novos e cada vez maiores desafios.


“Apesar do seu poder de atracção se encontrar intacto, a exposição é hoje um veículo adormecido necessitando de correcção, onde o espectador sofre habitualmente do «mal do...
tracking img