Pierre bordieu, razões práticas sobe a teoria da ação

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 2 (287 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de fevereiro de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Aluna: Ludmila DRE: #######
Controle de Leitura I (Fichamento):
Pierre Bordieu, Razões Práticas sobe a Teoria da Ação. Campinas, SP. Papirus, 1996.
Sub título: Aconcentração do capital (pag. 97 a 107)

O Estado é um agente que está sempre de uma forma ou de outra monopolizando o uso das informações e legitimando o uso da força física esimbólica, sempre com instrumentos de coerção sobre sua sociedade mais próxima territorialmente para maior domínio. Esse domínio é desenvolvido nas estruturas sociais e mentais desde semprede forma institucional histórica para que seja percebida como agente natural.
A ideia que melhor fundamentou a teoria da ação é a de diferentes tipos de capital, suadistribuição na sociedade e sua forma de perceber através dos agentes sociais: além do capital econômico, já tão estudado e enfatizado pelo materialismo histórico, destaca o capital cultural,político, religioso etc.
O capital simbólico entra, aqui, como um extra, pois trata-se da percepção de cada tipo de capital pelos agentes, que lhe atribuem valor muito acima darealidade do que realmente é. Esta percepção e valoração dos capitais constitui o capital simbólico, que está na base não só da constituição do Estado, mas também da instalação emanutenção de relações de dominação feitas desde os primórdios.
A construção do Estado está diretamente ligado a construção do Poder, entendido como campo de batalha entre quem querlutar particularmente para exercer o poder desse Estado e os diferentes tipos de capital que fazem parte.
“O Estado nascente deve afirmar sua força física em dois contextos”. Parao exterior em relação aos outros estados para manter soberania. No interior em relação aos contra poderes, no caso a resistência ao estado que é detentor momentâneo do poder.
tracking img