Petroleo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1050 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
-------------------------------------------------
Parafinas normais 14%
-------------------------------------------------
Parafinas ramificadas 16%
-------------------------------------------------
Naftênicos 30%
-------------------------------------------------
Aromáticos30%
-------------------------------------------------
Resinas e asfaltenos 10%
Fonte: Thomas, 2001No craqueamento, a formação de coque não é normalmente desejada e todo o esforço é orientado para evitar a sua ocorrência. No craqueamento térmico a formação de coque entope a tubulação dentro da fornalha, dai a adiçãode vapor d’água à mistura reagente para minimizar a deposição nas paredes do tubo.No craqueamento catalítico o coqueamento é tolerado, pois a queima do coque viabilizaenergeticamente o processo.
No coqueamento retardado o objetivo é produzir coque. Para isso, a matéria prima, normalmente o resíduo da coluna de vácuo, é aquecida até pouco acima de 500ºC sob 4-5 atm. O material aquecido é colocadoem tambores onde permanece resfriando em repouso durante 24 horas. Disto decorre o nome de coqueamento retardado. O coque se forma dentro dos tambores literalmente entope o tambor.. Para retirar o coque existem dois métodos: quebrar o coque usando chicotes rotatórios ou, um forte jato de água.
Os vapores craqueados são levados a fracionadora principal da unidade de coqueamento onde ocorre ofracionamento em: gasóleo leve de vácuo e gasóleo pesado de vácuo. Fração leve passam por três colunas conhecidas como desetanizadora, depropanizadora e debutanizadora. Na base da coluna debutanizadora sai a nafta de coqueamento que, antes de qualquer outro procedimento deve passar por um hidrorefinamento devido a presença de hidrocarbonetos olefinicos.
Na foto a seguir está uma unidade de coqueamentoretardado com quatro tambores.

Foto:Wikipedia
É um processo de extração de asfalto a partir do óleo pelo uso de propano como solvente. Neste processo são separadas as frações pesadas que produzem óleo lubrificante pesado, insumo para craqueamento catalítico e asfalto. No processo, o insumo e o propano líquido são bombeados para uma torre de extração e a separação ocorre em um contactor dedisco rotativo. Os produtos são evaporados e o vapor é lavado para recuperar o propano, que é reciclado. Esse processo também remove alguns compostos de enxofre e nitrogênio, metais, resíduos de carbono e parafinas do insumo.
esaromatização a Furfural
A desaromatização a furfural é uma operação tipicamente realizada no processo de produção de lubrificantes, em que se emprega o furfural como solventede extração de compostos aromáticos polinucleados de alto peso molecular. Como os lubrificantes são utilizados sob condições variáveis de temperatura, procuram-se desenvolver formulações que apresentem comportamento uniforme frente as variações de viscosidade, a qual sofre maiores flutuações devido à presença de compostos aromáticos. O objetivo, portanto, é o aumento do índice de viscosidade dosóleos lubrificantes, pois quanto maior esse valor, menor será a variação da viscosidade do produto com a temperatura. O produto principal é o óleo desaromatizado, que é armazenado para processamento posterior. Como subproduto, tem-se um extrato aromático, na forma de um óleo pesado e viscoso. O processo é bastante semelhante à desasfaltação, contendo seções de extração, recuperação de solvente doextrato e recuperação de solvente do refinado. Em particular, deve-se observar uma etapa prévia de desaeração, em que se promove a retirada de oxigênio da carga aquecida antes de seu envio às torres extratoras. O oxigênio, nesse caso, poderia reagir com o furfural e formar compostos ácidos de elevado poder corrosivo, sendo necessária sua remoçã
Desparafinação a MIBC
Um lubrificante colocado...
tracking img