Pesquisa albert camus

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 51 (12592 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
O texto a seguir é uma colaboração da leitora Violeta Ayumi Teixeira Araki.
Se você também gostaria de participar do blog, entre em contato.

Numa terra onde tudo convidava a viver, com areias reluzentes e um mar insanamente azul, Albert Camus (lê-se Albert Câmi) aprendeu bem cedo que a miséria limitava o paraíso argeliano a um lugar sem muitas oportunidades. Nascido em uma pobre família dointerior da Argélia (de descendência francesa), foi graças a uma bolsa de estudos que Camus conseguiu entrar no liceu da capital. Sob o sol ardente, batendo sem cessar sobre o bairro Belcourt, o então garoto estudava o dobro de seus colegas, chegando à universidade em 1931. Quatro anos mais tarde, sua vida literária começa a engrenar. Fundou o Teatro do Trabalho e o jornal Alger Republicaine.
Em1940, já em Paris como jornalista, a atmosfera da 2ª Guerra Mundial vinha tornando difícil a vida na França, de modo que Camus voltou para a Argélia, trazendo consigo o manuscrito de um romance. Era O Estrangeiro, livro que faria seu autor se transformar numa das figuras mais nobres da literatura francesa.
Escrito em uma época sombria de guerra, O Estrangeiro narra com incrível capacidade o que demais trágico existe na condição humana: o absurdo, o limite entre aspirações e realidade.
Mersault, que reside em Argel, tem sua vida modificada bruscamente ao matar um árabe. Não pelos motivos óbvios.
A história se inicia com Mersault indo ao enterro de sua mãe. Um dia depois inicia um caso amoroso com Marie e se distrai alegremente no cinema com um filme de Fernandel.
Tem dois vizinhos deprédio. Um deles é Salamano, velho ranzinza cujo maior sentido na vida é castigar seu cão. O outro é Raymond, agiota de personalidade duvidosa que, no fim, é o grande responsável pelas desgraças de Mersault.
Em um dia quente Raymond, Mersault e Marie vão à praia. E é nesse cenário que o protagonista depara-se com o árabe inimigo de Raymond. O árabe puxa uma navalha e Mersault puxa o gatilho,disparando cinco vezes. Logo em seguida é acusado de assassinato e vai preso. Durante o processo muitos pormenores de sua vida vão adquirindo relevância extrema, como o fato de ter fumado no enterro de sua mãe. É tachado como insensível, um homem sem alma, considerado um forasteiro quanto aos ditames da sociedade. Seu advogado pouco pode fazer e Mersault recebe sentença de morte.
O protagonista da obra,Mersault, vive em permanente indiferença a todos os valores morais. É o homem que não aceita as regras do jogo. Mas também está disposto a ir até o fim defendendo a única verdade na qual acredita. Mersault nasceu para desmascarar o cinismo e o vazio por trás da sociedade como um todo e do indivíduo como elemento principal. O homem é um nada, abandona aqueles que ama e também é abandonado. O homemé impotente perante as desgraças que presencia, e por isso mesmo finge não as ver. O Estrangeiro está ali justamente para dissecar aquilo que está errado e nos abrir os olhos para a estupidez de nossa falsas regras morais.
Quanto mais o conhecemos menos temos certeza se Mersault é o herói ou anti-heroi dessa história, cujo desenrolar nos joga de um lado para o outro, tal como ventríloquos deCamus, sem saber direito mais o que é certo e o que não é. Pois nossas crenças mais sagradas serão de repente questionadas, à medida que avançamos sobre o psicológico de Mersault. Não estaremos prontos para isso. Cada frase dele nos soará como absurda, desprovida de qualquer contato com a razão ou com o sentimento. Porém, quanto mais se indaga sobre sua sanidade, mais se fascina com a idéia por elepregada. Tudo é permitido, pois todos nós morreremos e os valores todos se desmoronarão. Para Mersault, não é preciso justificar nada, por isso ele não explica, apenas descreve. Seu silêncio reforça o mistério que seu ser emana. Se ele não tem o que dizer, simplesmente não se obriga a falar. Por isso é desesperadamente verdadeiro, sem jamais pisar no território das mentiras.
A revolta do...
tracking img